Devaneios tolos... a me torturar.

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Você é burro feito um sapo?

Oi geeente!

Você é burro feito um sapo?



Não sei se já contaram essa história, e nem sei se isso é realmente verdade, mas desconfio que seja. Muito embora (crianças) se vocês matarem um sapo por conta disso, eu mesma vou até aí puxar a orelha de vocês!

De qualquer forma, se essa parábola não se aplica aos sapos, se aplica direitinho a muitos de nós, inclusive a muitos políticos, empresários, e pessoas influentes da nossa sociedade. Se aplica a muitos casais, e pessoas que vão morrendo dia após dia, toda a vez que fecham os olhos para as inevitáveis mudanças.

Reza a lenda que se você pegar um sapo em um brejo, com uma quantidade de água do local onde ele vive, e colocar em uma panela, em cima do fogão, o pobre sapo vai morrer cozido sem sequer se dar conta disso. Ficará lá, naquela água que conhece desde sempre, sem perceber que aos poucos a temperatura vai subindo, até cozinhá-lo inteiro. Ele fica olhando, parado, aquilo tudo lhe acontecer, parecendo não dar-se conta.

Agora:
Se você colocar um sapo em uma panela de água fervendo, ele tentará pular para fora da panela imediatamente.

De acordo com as explicações científicas, no primeiro caso, se colocar a panela no fogo e aumentar gradativamente a temperatura, acontecerá uma coisa bastante interessante. Quando a temperatura aumentar de 20 para 30 graus, o sapo não se mexerá. Na verdade dará sinais de que está gostando. Porém, à medida que a temperatura for aumentando gradativamente, o sapo ficará cada vez mais tonto, não será mais capaz de sair da panela, até ser escaldado.


Por quê?
 
Porque, nos sapos, o mecanismo interno que detecta as ameaças à sobrevivência é regulado para identificar mudanças súbitas do meio ambiente, mas não mudanças lentas e graduais.

E você, consegue se salvar das mudanças lentas ou graduais?

Muitas pessoas sobrevivem, não sem dor, a mudanças bruscas, grandes tragédias. Perdas irreparáveis. Elas se recompõem. Se reconstroem. Retomam a felicidade.

Outras, alimentam todos os dias relacionamentos que estão naufragando, se mantém em empregos medíocres, colecionam amizades fúteis. Morrem em vida. E não fazem nada para mudar isso.

Nas cidades, ocorre o mesmo. As pessoas queixam-se dos políticos. Reclamam dos empresários. Falam mal dos promotores de eventos.

E votam sempre nos mesmos políticos. Não abrem seu próprio negócio, apostando no empreendedorismo, não inovam em seus cargos no trabalho, não sugerem mudanças. Quanto aos eventos,  sequer promovem um chá para as amigas.

E assim... o desenvolvimento se arrasta. A indústria fica estagnada. Os grandes eventos não chegam nunca.

Você já reparou como algumas coisas nunca mudam em Guaporé? E que vão morrendo aos poucos, por falta de modernidade, inovação, ousadia? Já reparou como muitas coisas nasceram grandiosas e morreram medíocres?

Outras não. Há muitas iniciativas que se renovam a cada ano, evoluem, crescem, alcançam outras fronteiras, renascem.

Ufa! Graças a Deus, nem todos são sapos!

Mas há um brejo grande por aqui...

E eu mesma, sinceramente, já começo a coaxar!
As pessoas têm medo das mudanças. Eu tenho medo que as coisas nunca mudem.”

7 comentários:

  1. Nunca devemos ter medo q as coisas mudem, pois sem mudanças a vida fica sem graça torna-se monotonia!!!Bjs!

    ResponderExcluir
  2. Baita texto MICHE!!!!

    Guria, parece que tu capta o momento da vida da gente e escreve sobre isso.

    Vou te dizer que essa semana foi bem algo desse gênero que aconteceu comigo. Eu perdi minha gata. Morreu de repente. Era minha filhinha, meu xodó, meu armozão.

    Na hora desesperei e passei o dia seguinte sem comer, só chorando....

    Só que, eu chorei tudo o que tinha pra chorar, deixei toda a tristeza vir pra fora mas, só por um dia....

    Depois disso, é preciso entender que não vamos conseguir reverter a situação caindo ainda mais no choro e na tristeza. Coloquei minha gata no coração, vivo de lembrar as coisas legais que vivemos juntas, parei de chorar, parei de sofrer e toco a vida pra frente.

    E tem que ser assim quando perdemos as pessoas que amamos. Na depressão, no choro, na tristeza não vai adiantar viver porque Deus não vai ficar com pena de ti e mandar ela de volta pra você.

    A vida segue, todo dia é dia de recomeçar. Por pior que seja a situação, o entorno temos sempre a chance diária de recomeçar, de fazer tudo diferente, de mudar o final. Essa é a maior dádiva da vida.

    E essa dádiva é válida para tudo e para todos. Para todas as classes sociais, todos os tipos de emprego, todas as esferas da sociedade, todos os tipos de cores, estilos, tipo de pessoas.

    O que faz a direfença nisso tudo é se cada um SE PERMITE fazer diferente todo o dia.

    Impressionante como ganhamos milhões de oportunidades todos os dias e, muitas vezes, elas passam e nós nem nos damos conta.

    Miche, SUA LINDA, vc é um AHAZZO!!!

    E as unhas???

    Bjão!

    Cami.

    ResponderExcluir
  3. Definitivamente não sou sapo... Eu sou tão inquieta e anseio tanto por mudanças que ás vezes exagero na "coragem" e me arrependo (um pouco) depois... Mas pior que fazer e errar é não fazer nada!!!!
    Eu sou uma "tentativa ambulante"!! E acho que serei assim pra sempre...

    Beijo e um queijo (com vinho, claaaaro!)!

    ResponderExcluir
  4. Realmente... muitas vezes somos sapos morrendo cozidos pelo tédio e mesmise... é difícil encarar a realidade e pular fora da panela antes da morte certa...
    E mts vezes sofremos tanto caladas que o outro nem se dá conta... pq temos medo ou falta de coragem de gritar e quebrar tudo...
    Quem sabe um belo dia eu não vire uma princesa? Já que sou "sapa" tlz me apareça algum príncipe montado num belo carrão branco pra me resgatar... kakakakaka
    Bjokas...

    ResponderExcluir
  5. hahaha adorei essa visâo sobre o assunto!!! Toda "sapa" merece um prícipe!!!
    Obrigado por participarem!
    Beijos!!

    ResponderExcluir
  6. Oi Miche... conheci teu blog hoje... hehehe...
    Que atrazadaaaaa.... mas ja estou dando conta de ler tudooo. Estou adorando.
    Beijos
    Gisela Mezzomo

    ResponderExcluir
  7. Oi Gisela! Que bom que tu descobriu! E que está gostando! Beijo!!

    ResponderExcluir