Devaneios tolos... a me torturar.

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Eu te perdoo por me traíres


Eu te perdoo por me traíres.

Perdoo, mas não sigo mais ao teu lado.

Porque, mesmo antes de me traíres, eu já havia me traído. E isso sim, é imperdoável.

Obviamente que tu não mereces uma mulher que se trai.

Quando me perdi, acabei perdendo-te também.

E procurastes em outros rostos, outros olhos, outras bocas, o que antes encontravas aqui.

Eu te perdoo, porque já consegui me perdoar.

Já não caminhávamos em busca de um mesmo objetivo, apenas caminhávamos, lado a lado, sem nos darmos as mãos.

Éramos tão parecidos, e tão distantes.

Percebi que o amor não acontece entre iguais, mas sim entre diferentes, com sonhos em comum.

Já não sonhávamos juntos. Aliás, já nem sonhávamos mais.

Eu te perdoo por me traíres, mas só se prometeres que, a partir de agora, tu também não te trairá mais.

Felizes separados, em detrimento da infelicidade, lado a lado.

2 comentários: