Devaneios tolos... a me torturar.

sexta-feira, 3 de maio de 2013

Amigo da onça

Oi geeeente!



 
Amizade entre mulheres é uma coisa delicada. Como caminhar em ovos, equilibrar-se no fio da adaga.

Mulheres, por natureza, são bichos competitivos, críticos, de língua afiada. Comparam-se entre si, competem e vivem a julgar ações, umas das outras.

Existem dois tipos, na minha opinião:

As que tomaram as rédeas da própria vida, e acabaram quebrando algumas regras, chocando a sociedade, mas felizes.

E as que seguem todos os padrões sociais, mas que passam os dias desejando secretamente sair do armário. Frustradas.

(Em que grupo você se enquadra?)

Não raro, os dois tipos de mulher desfrutam de amizades em comum. E aí entra o conflito. O grupo A é alvo do grupo B.

Geralmente as mulheres que libertaram-se do peso da opinião alheia arriscam mais, erram mais, acertam mais, mas vivem mais.

As mulheres conformadas, precisam encontrar nos tropeços das outras, motivos que justifiquem sua total falta de atitude diante da vida.

São aquelas que criticam separações, cortes novos de cabelo, uso de roupas mais ousadas, comportamentos masculinos, como sair com as amigas para tomar uma cerveja, ou a independência financeira das outras.

Estão atreladas a comportamentos padrão, e criticam tudo o que não se encaixa nesta regra.

No fundo, invejam a liberdade.

Uma mulher dona de si não é uma mulher vulgar, promíscua ou mal amada, como julgam alguns.

Uma mulher dona de si, é uma mulher bem resolvida.

Ela optou por uma vida sem casamento ou filhos, porque não se encaixa neste padrão.

Ela optou por dedicar-se integralmente ao trabalho, porque ama o que faz.

Ela optou por buscar sem pudores o verdadeiro amor, e por isso, não se envergonha de errar. Ninguém acerta de primeira. Para conhecer alguém a fundo, é preciso relacionar-se.

Uma mulher dona de si, pode sim, ter optado pela família. Por não trabalhar. Por ter quatro filhos. Por namorar outra mulher. Por não namorar ninguém.

As escolhas de cada um atendem às necessidades de cada um. Somente quem não tem coragem de encarar as consequências de suas próprias escolhas fica aí, falando mal dos outros durante o chá das cinco.

O que não falta no mundo é mulher recalcada, apontando o dedo para as amigas. Condenando, julgando, criticando, fofoqueando, e morrendo de vontade de viver um pouco. De trocar de roupa, de corte de cabelo, de amor, de casa.

Amiga recalque é identificada de longe. Tem um bip que grita alto.

O preço deste tipo de atitude, geralmente é o isolamento social. Ou a migração de grupo em grupo.

Existe, sim, amizade verdadeira entre mulheres. Mas é preciso antes de tudo, que haja respeito e compreensão.

Amigos de verdade não são os que pensam e agem da mesma forma. Mas os que ainda se amam, apesar das diferenças.

Beijos, meus amores!

Amigo de verdade, é artigo raro. Preserve os seus.



3 comentários:

  1. PERFEITO MICHELE!!! PARABÉNS!!

    ResponderExcluir
  2. Realmente, tudo verdade o que disse. Principalmente a parte que diz "Amigo de verdade, é artigo raro.", Ninguém quer ver você bem. Parabéns pelos textos maravilhosos que escreve.

    ResponderExcluir