Devaneios tolos... a me torturar.

quarta-feira, 6 de abril de 2011

E de que adiantou mudar... por ELE?


... Falando sério, pelo menos uma vez na vida, uma mulher muda para se adaptar a um estranho amor. E em contrapartida, não vê o estranho amor mudar por ela. Geralmente a camaleônica quebra a cara. Mas não sem antes se divertir um bocado! Ou chorar um bocado.
A todas que fizeram isso, e que se arrependeram... ou não, deixo a dica de leitura “Louca por Homem”.
Depois desse pequeno trecho, você sabe, não preciso dizer mais nada.



Eu antes de mim
 Acho que começou na sétima série, quando me apaixonei por um canhoto e não tive descanso enquanto não escrevi perfeitamente com a mão esquerda- ingênua tentativa de criar uma ligação com o objeto do meu amor, ainda que para isso, eu precisasse jogar treze anos de destreza no lixo. Ou então, foi antes, lá pelos meus oito anos, no instante em que percebi que um vizinho mais velho só usava roupas vermelhas. Foi o que bastou para eu ter longas crises de choro cada vez que minha mãe me ameaçava com um vestidinho rosa, verde ou amarelo, e o que determinou o eletroencefalograma ao qual fui submetida naquela época. Mulher prática, minha mãe diagnosticou minhas lágrimas como problema neurológico, e não amor.
Poderia voltar aos meus cinco anos e ao exato momento em que ouvi meu pai dizer que carne boa era carne com osso. Consideração que me fez passar os 30 anos seguintes compartilhando costelas gordas com ele.
Pequenas coisas que fizeram de mim o que sou hoje. Uma canhota que só veste vermelho, come chuleta todos os dias...
E pode ser outra, amanhã.

Trecho de Louca por Homem
De Cláudia Tajes

2 comentários:

  1. Falou e disse, quem já não passou por essa situação alguma vez na vida, até mesmo por ingenuidade, que atire a primeira pedra. BJS AMADA! e PARABÈNS PELO DIA DO JORNALISTA _ SEU DIA MINHA LINDA!

    ResponderExcluir
  2. Notícia fresquinha da cidade pra vc Miche: http://thechupinsdaily.blogspot.com/

    A polêmica dos bois.. hahahaha

    ResponderExcluir