Devaneios tolos... a me torturar.

sexta-feira, 31 de julho de 2009

Desbravando a Cordilheira

Portillo- Chile
Subindo a Cordilheira dos Andes

Centro moderno de Santiago do Chile




Parque Cerro Santa Lúcia


Moai autêntico dos Rapa Nui- Ilha de Páscoa




Castelos na região de Viña Del Mar e Valparaíso




Oi gente!!!! Eu amo viajar. A-M-O. E você? Pois desde os tempos das minhas aulas de Geografia no Scalabrini tinha o sonho de conhecer a Cordilheira dos Andes. Sempre achei um lugar lindo, meio mágico, misterioso. Quantas histórias tem para contar aquelas montanhas cheias de neve...

Então... como toda a boa trabalhadora brasileira (ou seria trabalhadora boa? hehe) comprei um pacote de viagem, parcelei em trocentas vezes, adiantei uma graninha no trabalho e lá me fui para desbravar os Andes.

Como adoro dividir com meus amigos as minhas impressões e experiências, assim como gosto de ouvir as histórias dos outros, deixo nessa coluna algumas considerações.

Passei nove dias viajando e conhecendo lugares. Desde o Rio Grande do Sul até Santiago, provei muitos sabores e mergulhei em culturas diferentes.

O Chile é um país comprido e variado... que une os picos altos da Cordilheira com as estações de esqui, o deserto do Atacama, os vulcões, ainda ativos, os lagos andinos, um deserto de sal incrível, a Ilha de Páscoa, onde reza a lenda Robison Cruzoé viveu sua história, sem falar na cultura Rapa Nui e Mapuche, os primitivos povos que deixaram seus legados.

O povo chileno é simples, simpático e acolhedor. Eles adoram os brasileiros e realmente sentiram na economia o impacto da falta de turistas “brasileños” em suas “calles”. Lá, nem ouvi falar da tal gripe suína. Mas confesso que viajei com um pouco de medo. Porém, lá me senti segura quanto ao atendimento médico. Um amigo meu de Natal, que estava no mesmo hotel, se sentiu mal e um médico veio ao quarto do hotel atende-lo e medica-lo. Um conforto. A Saúde é de qualidade.

Um aspecto que me chamou atenção foi o fato deles gostarem de brasileiros, e terem pavor de argentinos. Gente, piadinha de argentino pra todos os lados. Parece o Brasil! Rsrsrsrs

A comida, com muitos frutos do mar, e o salmão, tradicional das águas geladas, é cara. Nos lugares turísticos é MUITO cara. Já Esquiar em uma estação de esqui custa em média, uns 500 reais por pessoa. É preciso alugar transporte, equipamentos, pagar para entrar nas pistas e usar o teleférico e pagar por orientações de um professor.

Roupas, sapatos, vinhos, perfumes são muito baratos se você souber onde comprar.

Santiago é uma cidade que respeita a arquitetura do período das conquistas espanholas, com muitos castelos, prédios maravilhosos e muitos monumentos, em contraponto com uma arquitetura moderna do centro da cidade, inspirada nas metrópoles dos Estados Unidos.

A Cordilheira cerca a cidade. Parece coberta de algodão ou açúcar. Cerda de 50 quilômetros do centro ficam as primeiras estações de esqui: Farellones, Colorado e Valle Nevado. A última, a mais badalada, está a 3.000 metros de altitude. Fica difícil até de respirar. E a paisagem é algo indescritível.

Também seguimos de carro uns 200 quilômetros até a fronteira com a Argentina, em uma outra estação chamada Portillo. O Lago Inca é a paisagem mais bela que já vi na vida. E subir a Cordilheira junto com os caminhões brasileiros, me fez sentir de perto a sensação mágica desta jornada. Passamos pelo porto onde ficam parados os caminhões, às vezes por dias, quando a neve não permite a subida.

Já a região do litoral e do vinho, Viña Del Mar e Valparaíso, é pura poesia. A arquitetura, o Oceano Pacífico azul turquesa, as pedras, os pelicanos aos montes na praia, assim como os leões marinhos pegando um sol e dando um show aos turistas.

O nosso mundo é lindo demais. Deus nos presenteou com uma maravilha que devemos preservar para nossos filhos e netos. Há tantas paisagens que nos colocam mais perto dos céus, que se eu tiver tempo e dinheiro suficiente em minha vida, hei de conhecer!

Conhecer novas culturas, aprender novos idiomas, entender como funcionam outros povos é acrescentar uma bagagem à sua vida, que vale muito mais que dinheiro e bens.

Outro aspecto que me deixou muito feliz foi o fato de nas ruas de Santiago os animais serem tratados com respeito. Há uma Lei que assegura aos cachorros de rua por exemplo, a garantia de não serem maltradados. Há muitos cachorros enormes pelas ruas, dormindo tranqüilos no solzinho da tarde. São alimentados pelas pessoas da rua e apresentam-se muito saudáveis, limpos e dóceis. A PAC ia amar!!!

Bom, se algum dia você também quiser subir a Cordilheira, eu recomendo. Será uma experiência fascinante e inesquecível. O topo dos Andes é um lugar para sentar, contemplar e ficar mais perto de Deus e de si mesmo!
Mas eu sempre falo nos nossos parceiros da Joalheria e Óptica Sebben né! Quero aproveitar e afirmar que mais do que nunca, proteger os olhos com lentes de qualidade foi uma necessidade para mim. Os raios de sol refletem na neve com tanta força, e é uma claridade tão grande, que é necessário usar uma proteção. Sem um óculos bom, os olhos ardem, doem, a gente sente uma dor de cabeça! Os efeitos dos raios nocivos do sol não são brincadeira. Precisamos levar a sério as recomendações de quem entende do assunto!
Mas mudando de assunto...
Às vezes, no auge da minha dor de cotovelo, debocho dos meus amigos que estão pegando as gatinhas novinhas e filézinhos da cidade. Eles me devolvem, me chamando de “tia” Miche...
Tudo bem... o importante é a amizade que fica. Mas essa explicação que um amigo me deu sobre o fato de não se importar em gastar uns trocos com as meninas, me convenceu...
Cara ou Coroa: O cara, madurão, na faixa dos 50 anos de idade, sai com aquela gata escultural de 20 anos e a leva a um restaurante 5 estrelas, depois a uma danceteria, também de primeira e acabam no melhor motel da cidade, um duplex com piscina, hidro e solarium. Depois do bem bom, para impressioná-la, dá um lindo anel de ouro a ela.
Após mais umazinha, fumando um cigarro e dando um tapa no whisky 12 anos, ela pergunta:
- Benzinho, você me acha cara?
E ele responde na hora:
- Meu amor, na minha idade não tem jeito: ou é cara ou é coroa!!!
Ó céus...

terça-feira, 28 de julho de 2009


O silêncio dos Lobos ...

Pense em alguém que seja poderoso.
Essa pessoa briga e grita como uma galinha,ou olha e silencia,como um lobo?
Lobos não gritam.Eles têm a aura de força e poder.Observam em silêncio.
Somente os poderosos sejam lobos,homens ou mulheres,respondem a um ataque verbal com o silêncio.

Além disso,quem evita dizer tudo o que tem vontade,raramente se arrepende por magoar alguém com palavras ásperas e impensadas.
Exatamente por isso,o primeiro e mais óbvio sinal de poder sobre si mesmo é o silêncio em momentos críticos.
Se você está em silêncio, olhando para o problema, mostra que está pensando, sem tempo para debates fúteis.
Se for uma discussão que já deixou o terreno da razão,quem silencia mostra que já venceu, mesmo quando o outro lado insiste em gritar a sua derrota.

Olhe.Sorria.Silencie.

Vá em frente!
Lembre-se que há momentos de falar e há momentos de silenciar.

Escolhe qual desses momentos é o correto,mesmo que tenha que se esforçar para isso.
Por alguma razão,provavelmente cultural,somos treinados para a (falsa) idéia de que somos obrigados a responder todas as perguntas e reagir a todos os ataques.
Não é verdade!Você responde somente ao que quer responder e reage ao que quer reagir.
Falar é uma escolha, não uma exigência,por mais que assim o pareça.
Você pode escolher o silêncio.

Além disso,você não terá que se arrepender por coisas ditas em momentos impensados,como defendeu Xenócrates,mais de trezentos anos antes de Cristo,ao afirmar:"Me arrependo de coisas que disse,mas jamais de meu silêncio".
Responda com o silêncio,quando for necessário.

Use sorrisos,não sorrisos sarcásticos,mas reais.

Use o olhar, use um abraço ou qualquer outra coisa para não responder em alguns momentos.
Você verá que o silêncio pode ser a mais poderosa das respostas.

E,no momento certo,a mais compreensiva e real delas.

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Nem Simone. Nem Yvone.


Oi geeente! Sou noveleira, tenho que admitir. Não quero saber de séries maravilhosas, documentários, educativos etc... na hora da MINHA novela. É meio cafona, eu sei. Pouco educativo... talvez.

A novela fala a língua que grande parte do povo brasileiro sabe entender. Simples e direta, às vezes um pouco exagerada e por vezes caindo no humor.

Mas a gente gosta. Sobre relações e relacionamentos, me chamam atenção dois personagens dos quais precisamos passar longe: Simone e Yvone.

A primeira, interpretada por Ingrid Guimarães (maravilhosa), na novela Caras e Bocas mostra um pouco da mulher e do homem atual. Somos inteligentes, cultos, entendemos de moda, estilo, arte, arquitetura, economia. Mas por medo da solidão, acabamos virando idiotas na mão dos outros.

A Simone, apesar de todos os indícios, de todos os toques dos amigos, de todas as evidências, é casada com um homem que finge o tempo todo. E o pior: engana ela de todas as maneiras, fazendo-se passar por perfeito.

Fuja do homem perfeito. Primeiro porque ele não existe, segundo, porque ELE NÃO EXISTE MESMOOOOOO!

Sites de relacionamento, encontros às escuras, msn, orkut, programas do tipo “quem quer casar comigo” são muito procurados. Mas por favor, não se entregue de cara, porque o caso pode ser uma roubada. Escute conselhos de amigas, e até inimigas. Homens que traem e não querem nada com nada sempre dão evidências de sua personalidade. E gigolôs não são uma espécie em extinção...

Tudo bem se o cara deixa claro que é um solteiro convicto, e você fica do lado dele se quiser. Agora ENGANAR A SI MESMO é sempre a pior forma de enganação. Não feche os olhos. Se o amor é cego... ele não pode ser surdo, mudo e burro.

O outro caso que cito é o caso da Yvone, a psicopata vivida por Letícia Sabatella. Esperta demais, fria demais, detalhista demais. Talvez ela não sofra decepções com as pessoas, como a Simone. Mas também não conhece o melhor de todos os sentimentos: a paixão, a entrega, o amor... e o risco que corremos ao nos entregarmos.

Ser tão cruel e sem coração não tem graça nenhuma. É preciso correr riscos, mas por favor... riscos calculados.

Decepções com pessoas e com amores são inevitáveis. Pelo menos uma vez na vida você vai cruzar com um “cafajestão”. Até que eles são divertidos... desde que não acabem com sua vida, com sua auto estima e com sua conta bancária.

Nem tanto ao ar... nem tanto a terra. Razão e emoção devem trabalhar juntas!

Martha Medeiros... lendo uma das crônicas da Martha na ZH, ela falava justamente sobre isso. Achamos que sabemos tudo. Quem nos ama, quem não nos ama. O que anseia nosso namorado, nosso marido, nosso amigo. Nada disso. Não sabemos nem mesmo o que nós queremos... o que nos falta! Imagine se vamos conhecer os outros!

Talvez a pessoa que há anos esteja com você deite a cabeça no travesseiro e pense em outra. Talvez.... Vivemos em um eterno talvez. Achar que sabemos é reconfortante. É tranqüilo. Mas para garantir, se um dia você tiver uma bela surpresa desagradável com quem você ama, pelo menos esteja armado com uma profissão, um bom grupo de amigos de fé, atividades de lazer e diversão e um mundo que é só seu, e que ninguém pode tirar de você! Construa seu mundo e divida com aqueles que ama. Mas não viva o mundo do outro. Esse universo pode lhe ser tirado. E a solidão pode ser insuportável.

Mas mudando de assunto... nas minhas idas ao Bar do Piri, ao Alagados, ao João Lennon e Bar do Pinheirinho, ouço meus amigos falando que mulher é tudo igual. Depois que a mulher queimou o sutiã na praça, trai a torto e a direito, é liberal e quando quer, é mais galinha que homem.

Meus amados leitores: mais uma prova do quanto os homens não conhecem as mulheres. Mulher não trai. Ela é levada a uma terapia extra-conjugal por recomendação médica. Ela é submetida aos mais humilhantes atos em benefício àqueles que ama, ao próximo e à humanidade. Uma amiga minha foi a um desses Cruzeiros, e o marido não pôde acompanha-la. Conheçam a história dessa guaporense que não virou manchete no Jornal Nacional ou no Jornal da Aurora, mas evitou um naufrágio:

Querido Diário... 1º Dia:
Já estou preparada para fazer este maravilhoso Cruzeiro que ganhei de presente do meu marido...
Querido Diário... 2º Dia:
Estivemos todo o dia navegando. Foi lindo e vi alguns golfinhos e baleias! Hoje me encontrei com o Capitão, que por sinal é um belo homem!
Querido diário... 3º Dia:
Hoje estive na piscina. Fiz também um pouco de jogging e joguei mini-golfe. O Capitão me convidou para jantar em sua mesa. Foi uma honra e a noite foi maravilhosa. Ele é um homem muito atraente e culto.
Querido diário... 4º Dia:
Fui ao Cassino do navio! Tive muita sorte, pois ganhei U$80. O Capitão me convidou para jantar com ele em seu camarote. A ceia foi luxuosa com caviar e champanhe. Depois de comermos ele perguntou se eu ficaria em seu camarote, mas recusei o convite. Disse a ele que não queria ser infiel ao meu marido.

Querido diário... 5º Dia:
Hoje voltei à piscina para me bronzear um pouco. Depois, decidi ir ao Piano Bar. O Capitão me viu e me convidou para tomar um aperitivo. Realmente ele é um homem encantador. Perguntou-me de novo se eu queria visitá-lo em seu camarote naquela noite. E eu lhe disse que não, que era casada!
Então ele falou que se eu continuasse respondendo não, ele iria afundar o navio! Fiquei aterrorizada!
Querido diário... 6º Dia:
Hoje salvei 1600 pessoas... três vezes!!!

Hahaha! Tomou papudo! E não tente descobrir quem foi nossa heroína, ela não gosta de holofotes! É preciso dar de si... sem pensar em si!

quinta-feira, 9 de julho de 2009

NUNCA É TARDE DEMAIS!


Se tem uma coisa que gosto de fazer é assistir bons filmes. Nem preciso de companhia. Nessas horas eu me basto. Mesmo porque é meio chato você ficar chorando ou rindo de se retorcer na frente dos outros. Geralmente as pessoas não entendem muito bem minhas reações. Mas é que eu realmente me entrego à história.

Assistir um bom filme, um filme maravilhoso, não é fácil. São poucas as ocasiões em que uma obra de cinema realmente toca você. É preciso reunir uma história mágica, com atores ótimos e uma produção adequada.

Por isso mesmo fiquei tão abismada com “O Curioso Caso de Benjamin Button”. E nem foi porque o Brad Pitt está maravilhoso.

Foi porque o filme é ALGO!

Quero ser jovem: eu duvido mesmo que você nunca tenha pensado em não envelhecer, para, na contra-mão do tempo, ficar jovem enquanto vê suas amigas criarem rugas, cabelos brancos e alimentarem gorduras localizadas. Ao invés de envelhecer, a cada dia, rejuvenescer, ficar com a pele mais brilhante, vistosa, durinha.

Garanto que você vai erguer as mãos para os céus e agradecer a engenhosa obra do Universo de fazer com que todos estejamos caminhando para a mesma direção. Mesmo que essa direção seja a velhice. Imagine você, SÓ VOCÊ, na estrada contrária do tempo.

É sobre isso que trata o filme. Uma criança que nasceu velha. Um bebê de 80 anos com todas as limitações de uma pessoa de 80 anos. Por ser um caso único, obviamente causou medo em seu pai, que o abandonou na porta de um asilo.

Criado com amor pela mãe adotiva, Benjamin Button foi crescendo e rejuvenescendo. Apesar do corpo de 80 anos, tinha a mente de uma criança. Com o corpo de 60 anos era um adolescente. Atingiu a idade adulta e viveu alguns anos como uma pessoa normal. Até começar a virar criança.

Imagine você acabar sua vida como um bebê de colo. Imagine todo o conhecimento que você tem aos 30, 40, 50, 60, 70 anos, no corpo de uma criança de cinco anos.

Imagine quem você ama envelhecer, vendo você tornar-se cada dia mais jovem.

Muito inquietante. Mas que nos faz pensar.

Nos faz pensar que é bom termos os problemas que vem com a idade e dividi-los com todos da nossa geração.

Que envelhecer em conjunto, caminhar rumo à morte com dignidade e aproveitando ao máximo todas as etapas da vida é um desafio maravilhoso.

Que é preciso parar de desejar e criar coisas que podem mudar definitivamente quem somos e como vivemos. Simplesmente porque somos máquinas perfeitas demais para sermos modificadas. Fatalmente algo ia dar errado.

Chega de fórmulas da eterna juventude. Chega de gente bitolada não querendo envelhecer. Chega de querer mudar o relógio do tempo.

Deixo um texto, que encerra o filme, copiado pela Aninha, e que agora transcrevo:

“Se quer saber, nunca é tarde demais.
Ou cedo demais, para ser quem você quiser ser.
Não há limite de tempo.
Comece quando você quiser.
Você pode mudar ou ficar como está.
Não há regras pra esse tipo de coisa.
Podemos encarar a vida de forma positiva ou negativa.
Espero que encare de forma positiva.
Espero que veja coisas que surpreendam você.
Espero que sinta coisas que nunca sentiu antes.
Espero que conheça pessoas com pontos de vista diferentes.
Espero que tenha uma vida da qual se orgulhe.
E se descobrir que não tem, espero que tenha forças pra conseguir começar novamente."

Recomendo esse filme a você. Mesmo que seu namorado durma assistindo e esteja roncando antes mesmo do Brad Pitt virar um Deus Grego aos 20 anos... tem coisas que é melhor o bofe nem assistir mesmo... senão ele é capaz de deprimir!

Mudando de assunto...

Gente, tudo na vida é relativo. Nem tudo que parece, realmente é! O que eu escuto de absurdo por aí! Imagine trabalhar em um meio de comunicação onde todo mundo (inclusive as inteligências raras) ligam perguntando se é verdade todo o tipo de boato que é possível ser inventado ou aumentado. Para não divulgar coisas erradas, procuro ouvir as partes, e TER CERTEZA! Porque se tem uma coisa na vida que aprendi, é que nem tudo que é bonito e gostoso, tem coisa que parece... MAS NÃO É!
“Fim de tarde, um ginecologista aguarda sua última paciente que não chega. Depois de 45 minutos, ele supõe que ela não virá mais e resolve tomar um gim tônica para relaxar, antes de voltar para casa.
Ele se instala confortavelmente numa poltrona e começa a ler o jornal quando toca a campainha. É a tal paciente, que chega toda sem graça e pede mil desculpas pelo atraso.
- Não tem importância, imagine! - responde o médico - Olhe, eu estava tomando um gim tônica enquanto a esperava. Quer um também para relaxar?
- Aceito com prazer - responde a paciente aliviada.
Ele lhe serve um copo, senta-se na sua frente e começam a bater papo. De repente ouve-se um barulho de chave na porta do consultório...O médico tem um sobressalto, levanta-se bruscamente e diz:
- É minha mulher! Rápido, tire a roupa, deite na cama e abra aspernas, senão ela pode pensar bobagem!

TUDO NA VIDA É RELATIVO!!!”


Bom meus lindos e lindas... por hoje é só! Um beijo grande para todos. Se lerem um bom livro, assitirem um bom filme... ou quiserem tomar dois dedos de canha...
Escrevam:
Michele@tl.com.br

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Tem coisa pior...



Oi geeente!!! Como vocês estão de saúde? Algum sintoma de gripe???


Você espirra e um japonês fica gripado.

Quando era pequena, nas férias ia para Encantado passar uns dias com minhas primas, que tem a mesma idade que eu. Aquela viagem parecia não ter fim. Continuava a incomodar meus pais, para saber se faltava muito.

Beeeem mais tarde, a primeira vez que viajei de avião, até São Paulo, me parecia que iria visitar uma outra galáxia, de tão incrível que dava a impressão ser a viagem. (Sabe aquelas pequenas cafonices de bater foto até com a aeromoça??? EU FIZ! Tudo era novidade.)

Agora, o mundo me parece um ovo. Um ovo de codorna. A gente espirra e um japonês, do outro lado do globo fica gripado.

Essa tal gripe suína, que nem no nome tem glamour, apesar de não ser um bicho tão feio quanto pintavam, nos mostrou a fragilidade da nossa pequena aldeia sem fronteiras.

Incrível que lá em abril, maio, começou no México, e agora está ali na esquina. A quantidade de pessoas preocupadas em se proteger dá a dimensão do quanto nossa pequena e pacata Guaporé é globalizada. Nossos vendedores pegam aviões praticamente todas as semanas rumo a México, Estados Unidos, Argentina, Chile, Europa... ou para participar de Feiras e eventos, ou para vender.

Eu particularmente não tenho medo dessa doença, desde que sigamos as recomendações e cuidados necessários, como com qualquer outro tipo de vírus que possa trazer consequências mais sérias. Medo eu tenho medo, da forma como estamos expostos a tudo.

Expostos a informação, a tecnologia, a drogas, a doenças, a novos costumes, a novos conceitos, a novas modas. O tempo todo. Agora, já.

Somos sim cidadãos do mundo. Isso é mesmo tão bom assim?

Outro aspecto...

Outro aspecto que me chamou atenção com essa história de gripe, foi o fato que de forma “providencial” a grande mídia virou seus holofotes para a gripe e “esqueceu” da vergonha no Senado, sob comando do nosso ex Presidente Sarney.

Deixa que eles roubem lá... que por aqui a gente usa máscara. Espero que o vírus da falta de vergonha, de ética, de justiça não contamine o mundo também.

Depois da gripe alguém ouviu falar ainda da febre amarela? Da AIDS? Da malária? Da roubalheira em Brasília? E dos jovens de Guaporé, que já estão desdentados de tanto usar crack?

Não... A gripe abafa tudo.

Ah... mas ouvimos falar daqueles que vão pro Paraguai e são presos como contrabandistas, enquanto os maiores contrabandistas e sonegadores estão ocupando cargos de luxo por aí...

É por isso que às vezes tenho vergonha de votar.

E outro aspecto ainda...

Reparando no fato que em meio à bomba dos atos secretos do Senado vem a gripe suína e desvia a atenção... fiquei me perguntando: Porque isso nunca acontece conosco?

Quando me meto em alguma confusão daquelas de dar “zumzum” na cidade inteira, parece que passam séculos antes de acontecer algo para “abafar o caso”.

Pobre é triste... Tem que ser protagonista único e absoluto de suas próprias tragédias. E além de ficarmos famosos na cidade, ainda temos que trabalhar o dobro, porque nenhum dos fofoqueiros de plantão pagam nossas contas...

Já enquanto isso.... no Senado!!!! Eles aprontam... e nós pagamos o pato! Ou seria o porco?

No final o pobre suíno levou a culpa!

Ó mundo cruel!

Atchim!


Mudando de Assunto...

Seu marido ou namorado, mesmo sendo garnisé, adora cantar de galo, né? Eu sei disso, todo homem, em determinadas circunstâncias é metido a macho. Mas existe uma pequena diferença entre ser macho e ser macho e meio! Vamos esclarecer!

Peito e culhões. Há uma distinção médica clara.
Sempre ouvimos falar em alguém ter peito ou ter culhões, mas você sabe REALMENTE a diferença entre ambos? Vamos tentar esclarecer onde eles se diferenciam:
PEITO - É chegar em casa tarde da noite, após uma balada com os amigos, e ser recebido por sua mulher segurando uma vassoura, e ter peito de perguntar: "Ainda está limpando a casa, ou vai voar para algum lugar?"
CULHÕES - É chegar tarde da noite em casa, após uma balada com os amigos, cheirando a perfume e cerveja, batom no colarinho, e ter culhões para dar um tapa na bunda da sua mulher e dizer: "Você é a próxima, gorducha!"
Esperamos ter esclarecido qualquer confusão sobre as definições.Porém, clinicamente falando, não há diferença no resultado. Ambos terminam em morte.
rsrsrsrsrsrs
Te mete!

O estilo Melissa de ser... na semana passada uma leitora enviou e-mail querendo saber a marca dos óculos usados pela Christiane Torloni, a Melissa Cadore, na novela da Globo. O Rodolfo Sebben prontamente respondeu que são modelos da Gucci e Mark Jacobs. Também há um modelo Dior, inclusive este modelo é masculino, mas fica muito bem nela. Gucci e Dior são marcas que você encontra na Joalheria e Óptica Sebben. Agora, bom mesmo seria encontrar um Ramiro Cadore... aquele que banca a pinta toda da Melissa! Tem pra vender em Guaporé? Rsrsrsrs

Gente, por hoje é só. Mas volto semana que vem! Me escrevam meus lindos!

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Do it!


Eu sofro de verborragia crônica. Sou uma matraca. Penso demais. Pergunto demais. Planejo demais. Na contra mão de tudo isso, adoro o oposto. Outro dia, conversando com uma pessoa muito querida, que é o oposto de mim... que fala pouco, observa muito, ri das minhas neuroses e vive o hoje sem pensar no amanhã... cheguei a conclusão de que preciso mudar um pouco. Ser mais sucinta. Menos bocuda. Mais centrada. Menos preocupada. Quero tudo no contrato, preto no branco, explicado e prometido. A vida não é bem assim. Não é feita de promessas e planos para o amanhã. A vida é hoje. E eu vou me permitir mais, agora!


Por isso escolhi essa letra, que diz tudo, em poucas palavras. É do Lenine, na minha opinião, um dos melhores poetas e compositores deste país.


Tá cansada, senta

Se acredita, tenta

Se tá frio, esquenta

Se tá fora, entra

Se pediu, agüenta

Se pediu, agüenta...

Se sujou, cai fora

Se dá pé, namora

Tá doendo, chora

Tá caindo, escora

Não tá bom, melhora

Não tá bom, melhora...

Se aperta, grite

Se tá chato, agite

Se não tem, credite

Se foi falta, apite

Se não é, imite...

Se é do mato, amanse

Trabalhou, descanse

Se tem festa, dance

Se tá longe, alcance

Use sua chance

Use sua chance...

Se tá puto, quebre

Ta feliz, requebre

Se venceu, celebre

Se tá velho, alquebre

Corra atrás da lebre

Corra atrás da lebre...

Se perdeu, procure

Se é seu, segure

Se tá mal, se cure

Se é verdade, jure

Quer saber, apure

Quer saber, apure...

Se sobrou, congele

Se não vai, cancele

Se é inocente, apele

Escravo, se rebele

Nunca se atropele...

Se escreveu, remeta

Engrossou, se meta

E quer dever, prometa

Prá moldar, derreta

Não se submeta

Não se submeta...