Devaneios tolos... a me torturar.

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Do it!


Eu sofro de verborragia crônica. Sou uma matraca. Penso demais. Pergunto demais. Planejo demais. Na contra mão de tudo isso, adoro o oposto. Outro dia, conversando com uma pessoa muito querida, que é o oposto de mim... que fala pouco, observa muito, ri das minhas neuroses e vive o hoje sem pensar no amanhã... cheguei a conclusão de que preciso mudar um pouco. Ser mais sucinta. Menos bocuda. Mais centrada. Menos preocupada. Quero tudo no contrato, preto no branco, explicado e prometido. A vida não é bem assim. Não é feita de promessas e planos para o amanhã. A vida é hoje. E eu vou me permitir mais, agora!


Por isso escolhi essa letra, que diz tudo, em poucas palavras. É do Lenine, na minha opinião, um dos melhores poetas e compositores deste país.


Tá cansada, senta

Se acredita, tenta

Se tá frio, esquenta

Se tá fora, entra

Se pediu, agüenta

Se pediu, agüenta...

Se sujou, cai fora

Se dá pé, namora

Tá doendo, chora

Tá caindo, escora

Não tá bom, melhora

Não tá bom, melhora...

Se aperta, grite

Se tá chato, agite

Se não tem, credite

Se foi falta, apite

Se não é, imite...

Se é do mato, amanse

Trabalhou, descanse

Se tem festa, dance

Se tá longe, alcance

Use sua chance

Use sua chance...

Se tá puto, quebre

Ta feliz, requebre

Se venceu, celebre

Se tá velho, alquebre

Corra atrás da lebre

Corra atrás da lebre...

Se perdeu, procure

Se é seu, segure

Se tá mal, se cure

Se é verdade, jure

Quer saber, apure

Quer saber, apure...

Se sobrou, congele

Se não vai, cancele

Se é inocente, apele

Escravo, se rebele

Nunca se atropele...

Se escreveu, remeta

Engrossou, se meta

E quer dever, prometa

Prá moldar, derreta

Não se submeta

Não se submeta...

Um comentário: