Devaneios tolos... a me torturar.

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Nem Simone. Nem Yvone.


Oi geeente! Sou noveleira, tenho que admitir. Não quero saber de séries maravilhosas, documentários, educativos etc... na hora da MINHA novela. É meio cafona, eu sei. Pouco educativo... talvez.

A novela fala a língua que grande parte do povo brasileiro sabe entender. Simples e direta, às vezes um pouco exagerada e por vezes caindo no humor.

Mas a gente gosta. Sobre relações e relacionamentos, me chamam atenção dois personagens dos quais precisamos passar longe: Simone e Yvone.

A primeira, interpretada por Ingrid Guimarães (maravilhosa), na novela Caras e Bocas mostra um pouco da mulher e do homem atual. Somos inteligentes, cultos, entendemos de moda, estilo, arte, arquitetura, economia. Mas por medo da solidão, acabamos virando idiotas na mão dos outros.

A Simone, apesar de todos os indícios, de todos os toques dos amigos, de todas as evidências, é casada com um homem que finge o tempo todo. E o pior: engana ela de todas as maneiras, fazendo-se passar por perfeito.

Fuja do homem perfeito. Primeiro porque ele não existe, segundo, porque ELE NÃO EXISTE MESMOOOOOO!

Sites de relacionamento, encontros às escuras, msn, orkut, programas do tipo “quem quer casar comigo” são muito procurados. Mas por favor, não se entregue de cara, porque o caso pode ser uma roubada. Escute conselhos de amigas, e até inimigas. Homens que traem e não querem nada com nada sempre dão evidências de sua personalidade. E gigolôs não são uma espécie em extinção...

Tudo bem se o cara deixa claro que é um solteiro convicto, e você fica do lado dele se quiser. Agora ENGANAR A SI MESMO é sempre a pior forma de enganação. Não feche os olhos. Se o amor é cego... ele não pode ser surdo, mudo e burro.

O outro caso que cito é o caso da Yvone, a psicopata vivida por Letícia Sabatella. Esperta demais, fria demais, detalhista demais. Talvez ela não sofra decepções com as pessoas, como a Simone. Mas também não conhece o melhor de todos os sentimentos: a paixão, a entrega, o amor... e o risco que corremos ao nos entregarmos.

Ser tão cruel e sem coração não tem graça nenhuma. É preciso correr riscos, mas por favor... riscos calculados.

Decepções com pessoas e com amores são inevitáveis. Pelo menos uma vez na vida você vai cruzar com um “cafajestão”. Até que eles são divertidos... desde que não acabem com sua vida, com sua auto estima e com sua conta bancária.

Nem tanto ao ar... nem tanto a terra. Razão e emoção devem trabalhar juntas!

Martha Medeiros... lendo uma das crônicas da Martha na ZH, ela falava justamente sobre isso. Achamos que sabemos tudo. Quem nos ama, quem não nos ama. O que anseia nosso namorado, nosso marido, nosso amigo. Nada disso. Não sabemos nem mesmo o que nós queremos... o que nos falta! Imagine se vamos conhecer os outros!

Talvez a pessoa que há anos esteja com você deite a cabeça no travesseiro e pense em outra. Talvez.... Vivemos em um eterno talvez. Achar que sabemos é reconfortante. É tranqüilo. Mas para garantir, se um dia você tiver uma bela surpresa desagradável com quem você ama, pelo menos esteja armado com uma profissão, um bom grupo de amigos de fé, atividades de lazer e diversão e um mundo que é só seu, e que ninguém pode tirar de você! Construa seu mundo e divida com aqueles que ama. Mas não viva o mundo do outro. Esse universo pode lhe ser tirado. E a solidão pode ser insuportável.

Mas mudando de assunto... nas minhas idas ao Bar do Piri, ao Alagados, ao João Lennon e Bar do Pinheirinho, ouço meus amigos falando que mulher é tudo igual. Depois que a mulher queimou o sutiã na praça, trai a torto e a direito, é liberal e quando quer, é mais galinha que homem.

Meus amados leitores: mais uma prova do quanto os homens não conhecem as mulheres. Mulher não trai. Ela é levada a uma terapia extra-conjugal por recomendação médica. Ela é submetida aos mais humilhantes atos em benefício àqueles que ama, ao próximo e à humanidade. Uma amiga minha foi a um desses Cruzeiros, e o marido não pôde acompanha-la. Conheçam a história dessa guaporense que não virou manchete no Jornal Nacional ou no Jornal da Aurora, mas evitou um naufrágio:

Querido Diário... 1º Dia:
Já estou preparada para fazer este maravilhoso Cruzeiro que ganhei de presente do meu marido...
Querido Diário... 2º Dia:
Estivemos todo o dia navegando. Foi lindo e vi alguns golfinhos e baleias! Hoje me encontrei com o Capitão, que por sinal é um belo homem!
Querido diário... 3º Dia:
Hoje estive na piscina. Fiz também um pouco de jogging e joguei mini-golfe. O Capitão me convidou para jantar em sua mesa. Foi uma honra e a noite foi maravilhosa. Ele é um homem muito atraente e culto.
Querido diário... 4º Dia:
Fui ao Cassino do navio! Tive muita sorte, pois ganhei U$80. O Capitão me convidou para jantar com ele em seu camarote. A ceia foi luxuosa com caviar e champanhe. Depois de comermos ele perguntou se eu ficaria em seu camarote, mas recusei o convite. Disse a ele que não queria ser infiel ao meu marido.

Querido diário... 5º Dia:
Hoje voltei à piscina para me bronzear um pouco. Depois, decidi ir ao Piano Bar. O Capitão me viu e me convidou para tomar um aperitivo. Realmente ele é um homem encantador. Perguntou-me de novo se eu queria visitá-lo em seu camarote naquela noite. E eu lhe disse que não, que era casada!
Então ele falou que se eu continuasse respondendo não, ele iria afundar o navio! Fiquei aterrorizada!
Querido diário... 6º Dia:
Hoje salvei 1600 pessoas... três vezes!!!

Hahaha! Tomou papudo! E não tente descobrir quem foi nossa heroína, ela não gosta de holofotes! É preciso dar de si... sem pensar em si!

2 comentários:

  1. Preciso gritarrrrrrrrrrr entao a frase ..."pra que conteudo se a casca é bacana" (musiquinha do caras e bocas).
    Eu adoro novelas,fico uma fera se abrem a boca para falar de pão murcho,bolachas de farelo de nozes,ou qualquer coisa da crise ,não quero ouvir,não quero ouvir,prq novela é sagrado.
    Pode me chamar de cafona, de inutil de aguada,não to nem ai,quem paga minhas contas soy YO.
    Auahauahauahua,beijos rica flor de jardim
    VEZINHA DA AMIGA

    ResponderExcluir