Devaneios tolos... a me torturar.

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Te conheço?!

Oi geeente!
Tudo bem meus amores?

Ando espantada com a quantidade de histórias inventadas nessa cidade ultimamente.  São coisas tão cabeludas e tão fora da realidade, que me nego a acreditar que algum cristão tenha tido coragem de abrir a boca para soltar tamanha asneira.
Um professor do meu curso na faculdade, dizia que fofoca grande, é coisa de gente pequena. De gente que nunca saiu do conforto do seu mundinho para encarar a vida de frente.
Ele costumava dizer que gente pequena tem preguiça até de pensar. Que a consciência coletiva é uma massa burra, que pensa igual, e portanto não está pensando. Está apenas se deixando levar.
Quer exemplos? Vamos lá.
Suponhamos que alguém pergunte a um inimigo meu:
- Você conhece a Michele?
- Sim, conheço. A Michele é preta.
Ou faça a mesma pergunta para um amigo meu:
- Você conhece a Michele?
- Sim, conheço. A Michele é amarela.
Uma pessoa que não sabe ver o mundo com seus próprios olhos, vai passar a me enxergar com os olhos dos outros. Com a cor que os outros me pintarem. Vai me odiar, amar, julgar, rotular, conforme a opinião de terceiros. Sem me conhecer.
Outro fato interessante, é a capacidade das pessoas de perdoar em si os defeitos, mas condena-los nos outros.
É muito engraçado que as pessoas não consigam entender que somos os vilões e os mocinhos de nossa própria jornada. Atravessamos o caminho e prejudicamos alguns ao longo de nossas vidas. Em cidades pequenas, impossível que os destinos não se cruzem em disputas profissionais ou românticas. Isso acontece com todos. E ao mesmo tempo em que, às vezes, prejudicamos... quantas vezes ajudamos outras pessoas? Mas isso ninguém percebe.
Não somos só bondade para virarmos santos, nem só maldade para sermos crucificados e apedrejados.
Julgamos com dureza e queremos ser julgados com benevolência.
Pelo amor de Deus! Conheço muitos juízes aqui nessa cidade, sempre com sentenças de pedra, e com crimes escondidos dentro do armário.
Como é difícil agirmos por nossa própria consciência, formarmos nossa opinião por nossas próprias experiências. E como é fácil simplesmente tocarmos no mesmo ritmo da multidão, como uma tuba cega. Concordando com a maioria e discriminando uma minoria.
Saiam da zona de conforto! Conheçam novos mundos, novas culturas, gente diferente, que se veste diferente, que tenha valores diferentes. Aprendam a respeitar o outro!
Saiam desse mundinho, parem de pensar pela cabeça dos outros!  E achar que são donos da razão.
Há uma grande diferença entre o mundo que você criou e o mundo como ele é. E para entender isso e ser muito mais tolerante, é preciso sim, sair da inércia.
Amo essas palavras escritas por Amyr Klink. Quando ele fala em viajar, não significa somente pegar um avião e voar para longe. Significa sair do seu universo e viver um pouco a realidade dos outros. Leia com atenção.
"Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, imagens, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu. Para um dia plantar as suas árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor. E o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser."
Ai meus queridos leitores... precisamos abrir essas nossas cabecinhas duras. Todos nós. Eu inclusive.
Até a semana que vem!

Mural de recados:
Utilize seu tempo: encha sua vida e sua cabeça com coisas úteis. Leia, passeie, assista um bom filme. Namore. E aprenda a não passar adiante coisas estapafúrdias. Como é triste o mau hábito de falar dos outros e ainda por cima aumentar um pouco. Recebi muitos e-mails e recados nesta semana com pessoas indignadas com boatos e atitudes invejosas. Deveria haver uma vacinação em massa para nos imunizarmos do vírus da fofoca.
Uma boa estratégia para se livrar de pessoas que vem contar “causos”, é se fazer de bobo. Não dar trela, e cair fora. Como diz um amigo meu... Malandro é o pardal que canta mal pra não ficar na gaiola.

9 comentários:

  1. Miche!
    E eis que meu pai voltou de viagem novamente e me contou mais um fato vivido. E ele começou a conversa assim:

    "Eu vou contar uma coisa pra vcs e acredito nisso mediante o que tenho vivido: nós aqui dessa cidade (Serafina) e até de outras cidades do interior somos muito apegados na aparência, nas coisas materiais. Digo isso porque estava eu no interior do Recife, descarregando num bairro um pouco deslocado e simples e precisei almoçar. Perguntei pro cara do depósito onde poderia ir e ele me disse: Ali na esquina, naquela casa, tem uma mulher que faz comida e vende. Pode ir lá se quiser.

    Ele foi.

    Bateu e uma senhora beeeem velhinha atendeu. Ele ficou surpreso e perguntou: Sra. acho que errei de casa mas, me disseram que era aqui que tem almoço pra vender. É isso mesmo??
    Ela disse: Sim, é aqui mesmo. Entre meu filho.

    Ele estava com roupa batida de trabalho, um pouco sujo e, aquela senhora o convidou para entrar em sua casa. Eles eram dois estranhos um para o outro.

    Ele sentou à sua mesa, ela o serviu com uma comida simples e muito bem preparada. Ele comeu. Pagou e foi embora.

    Ficou admirado na atitude da senhora. De deixar entrar em sua casa um estranho e deixá-lo comer em sua mesa.

    Disse ele por fim: a gente não faz isso por aqui. Uma por que é uma realidade diferente, questão de segurança mas, por outro lado, quantos paradigmas colocamos a frente de uma atitude dessa.

    Eu fiquei de boca aberta e aprendi mais um pouco.

    Precisamos dessas velhinhas por aqui, pra nos ensinar a ser mais gente.

    Miche, "AHAZOU" de novo!!!

    ResponderExcluir
  2. Sempre digo que o que mais estraga Guaporé, é os negativistas de plantão...se tu estiver de carro novo, tá roubando...se tiver cabelo comprido, é maconheiro e se for simpática demais, é aquilo que nem preciso escrever. Eu, assim como você, já tive a oportunidade de conhecer outros países, e sempre digo que a melhor sensação do mundo é poder sair na rua e ver como o povo não se preocupa se tu é branco, gordo, alto, se tá vestido ou pelado. Cada um cuida da sua vida, punto e basta.

    Essa liberdade de viver é o que falta nesse nosso país tão lindo e repleto de riquezas!

    Miche, parabéns por abordar um assunto polêmico mas real como esse...concordo com tudo o que falaste...

    Beijão, bom final de semana....ah...MALVINO mandou lembranças...veio lá em casa ontem tomar um café!!RSRSRS

    ResponderExcluir
  3. Ai gurias, nem preciso falar nada né. Vcs só complementam o que eu escrevi.
    O bom de escrever, e receber a resposta, é conseguir identificar aqueles que são diferentes da maioria cega que citei.

    ResponderExcluir
  4. Sabe, ouço muita gente falando que não gosta da nossa cidade. Particularmente, eu amo Guaporé, não existe lugar tão bom de morar e de viver quanto aqui. Aprendi a gostar da cidade no mesmo momento que aprendi que dar bola para o que alguns falam só aumenta o bafafá.

    Reparei que sendo honesta e verdadeira, puxo para perto de mim pessoas maravilhosas e de verdade. E são por essas pessoas que eu abro meu sorriso todos os dias com um lindo bom dia.

    Eu acredito nessas pessoas pobre de vida, que um dia possam vir a enxergar o horizonte como vemos, olhar pra frente, “viajar”. Rezo por elas, sinceramente.

    Bobo quem fala, mais bobo ainda quem da bola. Espero que Guaporé seja uma cidade rica de coração, um dia. Por que pessoas maravilhosas eu tenho certeza que temos muitas, e se cada uma dessas abrir um sorriso para essas cabeças ocas, talvez possamos dar um pouco de esperança, e de uma a uma, tentar ao menos ter uma cidade mais “tri”.

    ResponderExcluir
  5. que amor PÊ! Eu também amo essa cidade, e me esforço por fazer a minha parte pra ela ficar MUITO TRI! ;)

    ResponderExcluir
  6. Tem gente q acredita na própria mentira infelizmente. Eu odeio fofocas mesquinhas e maldosas das pessoas. Adoro suas publicações, se criticamos seremos criticados, então antes de falarmos qualquer coisas devemos pensar muito bem. bjs e bom findi!

    ResponderExcluir
  7. Miche,costumo defender principalmente meus amigos,detesto que falem coisas absurdas sobre eles,prq quem fala o que quer podera ouvir o que nao gosta.
    Prefiro pensar que os linguarudos de plantão são os desesperados por atenção,os que nao conseguem ficar falando de seus medos,de suas frustraçoes,das suas conquistas,prq creio que nao as tenhasm,estao sempre prontos para pisar alguem seja com a lingua ou com o pe mesmo.
    Bom dia aos que acordam vendo mais um dia para se viver com um sorriso no rosto e talvez alguns gritos com um amigo de quem pode confiar,aos demais,VÃO TRABALHAR QUE PASSA! auahauha.
    Miche tu ta poderosa e eu tava louca para descer uma biblia .ehehe
    Fui!
    Bom final de semana,e sim,tu és especial!

    jaqueline Zanatta pizzolatto

    ResponderExcluir
  8. Jaque tu é o máximo, amo tu! Tim-tim!

    ResponderExcluir
  9. Olá Michele,

    Gostei muito do seu blog.

    Gostaria de compartilhar o meu com vc, se for possível faça uma visitinha lá www.claudioneisantalucia.blogspot.com.

    Claudionei

    ResponderExcluir