Devaneios tolos... a me torturar.

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Porque você não vai.... ver se eu tô na esquina?

Oi geeente!



- Oi Michele, tudo bem?
- Oi fulana. Tudo ótimo e contigo?
- Mais ou menos. E aí, me conta Miche, tu casou?
- Não.
- E tem filhos?
- Não.
- Mas porque tu não casa?
- Porque sou feliz assim. O importante é que uma relação seja boa, e não que esteja escriturada.
- E filhos? Ó... que depois dos 30, fica mais difícil, hein.
- Se eu ficar muito “velha” depois dos 30 e não conseguir engravidar, eu adoto um bebezinho.
- O que??? Tu não sabe dos problemas de crianças adotadas? E se tu adotar um marginal?
- Pôxa, tu deve ter feito uma pesquisa e deve ter descoberto que todos os traficantes, estupradores, ladrões, bandidos e assassinos são pessoas que foram adotadas. Ninguém que tenha bons pais (biológicos) descamba para o crime.
- Nossa Michele, não precisa ficar assim. Só não quero que quando tu tiver 60, 70 anos, tu seja uma pessoa sozinha.
- Engraçado, conheci uma senhora no asilo, que tinha três filhos, e no entanto, eles não a visitavam há 8 meses.
- Bom amiga... acho que eu vou indo.
- Sim querida, vai... vai ver se eu tô na esquina.

Quem nunca passou por uma situação como essa? Quem nunca foi metralhado por perguntas do tipo:
- Porque você não vai trabalhar em um grande centro?
- Porque você não compra um apartamento maior?
- Porque ao invés de viajar, você não guarda dinheiro?
- Porque você não corta esse cabelo?
- Porque você escolheu Direito, e não Medicina?
- Porque isso, porque aquilo...

Incrível como as pessoas têm a fórmula certa para nós. E esquecem de cuidar de suas próprias vidas. Casar na Igreja, ter filhos antes dos 30, guardar dinheiro no banco, ter um bom carro na garagem, uma casa enorme, onde a gente se perca, são apenas alguns dos conceitos considerados obrigatórios para sermos “normais”.

Só que muitas pessoas apenas seguem essas regras para não serem julgados pela sociedade, e acabam infelizes dentro do mundo de mentiras que criaram.

Não acredito em regras. Acredito em valores. Não seja guiado pelo senso comum, seja guiado pela voz do seu coração. Não pode estar errado quem busca amor e respeito na vida.

Outro dia, conversando com um amigo, eu dei os parabéns pelo casamento. Foi uma festa luxuosa, cheia de pompa e circunstância, que custou os dois olhos da cara.
Eu cheguei toda simpática: - Parabéns! E aí, está feliz, dividindo a vida com alguém?
E ele: - Sim, casei, mas se não der certo, eu separo.

Hã? Mas se pensa dessa forma, então porque casou?

Agora é assim: eu caso, se não der certo, separo. Eu tenho filho, mas se não der certo, eu largo pros avós cuidarem.

Parece que tudo isso está tão descartável! Pudera tantos divórcios. As pessoas não se comprometem, vão ao sabor do vento. Na primeira rajada mais forte, se desestruturam, abandonando o barco. E quem estiver nele que se afogue. Esperto é quem pega o colete salva-vidas e salta primeiro.

Precisamos tomar decisões importantes, quando estivermos prontos para elas. Escolher a faculdade, a carreira, o marido, quando ter um filho... etc, não deve depender de pressão social. Deve depender de um desejo sincero, vindo do fundo do coração.

A felicidade pode ser trilhada das mais diversas formas. É preciso respeitar o caminho que o outro escolheu, para que o outro também respeite sua estrada.

Pensemos nisso antes de lançarmos nossos intermináveis... “Porque você não...” questionando a vida alheia.

Cada um sabe dos motivos que o fizeram ser quem é. Cada um sabe das dores, das alegrias e das tristezas de cada escolha. Cada um sabe o que lhe custou cada um de seus fracassos. E cada um sabe da imensa alegria de seus sucessos. Vamos cuidar da nossa casa, do nosso coração, da nossa vida.

O mundo mudou, as relações mudaram. Não se prenda às convenções sociais.
Apenas seja feliz, a seu modo!


Beijos, meus amores!

9 comentários:

  1. Bom dia querida....
    Nossa sei q esta sua "Amiga" deve ser ficticia.
    Mas ela devia ser muito infeliz e mal amada na vida, q interrogatório, q chega a dar asco. Precisamos viver e ser feliz,sempre!BJS!

    ResponderExcluir
  2. Afeee tu nota logo qdo a pessoa vem conversar contigo querendo o teu bem, e quando quer te esculachar... sempre tem essas "amigas".

    ResponderExcluir
  3. Parabens pelo blog e pelos escritos!!!

    ResponderExcluir
  4. super mega dez seu blog...olha eu não quero ser mãe não tenho saco pra tal...e muitos me metralham por isso (família), se vem uma amiga encher o saco assim eu mando a M.

    ResponderExcluir
  5. Não é nada fácil, a pressão social para determinadas decisões femininas existe, e chega a pesar nos nossos ombros às vezes!

    ResponderExcluir
  6. Quer saber porquê eu não vou ver se você ta lá na esquina?
    Porquê o caminhão de lixo não passa agora, baby ;*

    ResponderExcluir