Devaneios tolos... a me torturar.

segunda-feira, 31 de março de 2014

O estuprador nunca é inocente



Oi geeente!



Correndo os olhos pelos sites de notícias, uma imagem imediatamente chamou minha atenção. Era uma reportagem, de um jornal, sobre uma mulher que havia sido estuprada. Antes de ler a notícia, a foto me deixou perplexa. Mostrava uma mulher e uma criança, caídas no chão, na beira da estrada, agarradas uma a outra. A mãe, com as calças nos tornozelos, e a menina com a face machucada, nos braços da mulher.

Quando li a notícia, meu estômago revirou, meus olhos se encheram de lágrimas. Ela havia sido perseguida, estuprada e espancada, na frente da filhinha, de dois anos. A menina também havia sido espancada e seu rostinho tinha as marcas dessa violência. A mãe, em coma, foi encaminhada para uma UTI e estava em estado grave, e a menina estava desacordada e ainda não tinham informações de seu estado de saúde.

Não sei o que aconteceu com elas. Não sei quem eram. Não sei se ficaram bem (Aliás, é possível ficar bem depois de um trauma como esse?). Só sei que nenhuma mulher no mundo, de prostituta a santa, merece ser violentada, espancada, humilhada, maltratada.

Sexo deve ser feito com amor. Ou, pelo menos, com desejo. Desejo de ambos. Quando um não quer, o sexo não pode e não deve ocorrer. Uma mulher tem direito de desistir até mesmo na hora H. Ela precisa ser respeitada. Seu corpo é seu santuário. Não deve ser violado.

Durante todos esses anos em que trabalho na imprensa local, um fato me marcou, aqui em Guaporé. Uma idosa que teve a casa (no interior) invadida por um criminoso. Ela foi violentada, agredida com brutalidade e morta. Sua casa foi incendiada. Toda a vez que eu passava pela ERS 129, olhava para aquela casinha, cujas paredes tinham marcas negras deixadas pelo fogo. Meu coração se entristecia e eu rezava para aquela vovó.

O monstro que fez isso com ela foi identificado e preso, mas a vida dela, ninguém trouxe de volta. Ninguém conseguiu consolar sua família, muito menos entender como um ser humano é capaz de tamanha maldade. Aliás, um estuprador não pode ser chamado de ser humano, muito menos de animal (estaríamos ofendendo os animais).

Um estuprador é uma aberração, um criminoso perigoso, um doente, alguém que precisa ficar longe da sociedade. Ele representa um perigo para crianças, meninas, mulheres, enfim, um perigo para todos.

Um estuprador não escolhe suas vítimas pela cor da moda, não quer saber se ela usa minissaia ou burqa, não quer saber se tem uma criança pequena nos braços.

Ele ataca, fere, violenta, ele deixa marcas eternas e profundas em suas vítimas.

Um estuprador é um bandido, um criminoso, uma pessoa com uma conduta injustificável.
Ele nunca é inocente. Nunca.

E então, surge a pesquisa do IPEA, que diz que 65,1% dos entrevistados concordam com a frase "Mulheres que usam roupas que mostram o corpo merecem ser atacadas”.

Para explicar este absurdo, os estudiosos dizem que o problema é o machismo que impera na sociedade.
Pois eu digo, o problema não é o machismo. O problema é a IGNORÂNCIA. 

Será que essas pessoas sabem o que é um estupro? Será que sabem que suas irmãs, suas mães, suas filhas, estão à mercê de um estuprador, que anda por aí, misturado a pessoas normais?

Claro que não sabem. São ignorantes com I maiúsculo.

Para estes entrevistados, com tamanho grau de burrice, eu peço:
- Perdoai-os Senhor. Eles definitivamente não sabem o que dizem.

Beijos, meus amores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário