Devaneios tolos... a me torturar.

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Oi geeente bonita! Gente linda! Gente amada! Tudo? Como foram de carnaval? “Pularam” muito?

Jesusamado! O Carnaval é mesmo a época do ano em que as feras se libertam de dentro das pessoas normais, e saem por aí, feito criaturas sem lei, bebendo todas, sem nenhuma crise de consciência. É legal ficar observando a “alegria” alheia! É muita cerveja, muito beijo na boca, e no final, muitos porres de entrar para a história.

Não estou aqui falando que é lindo ficar bêbado no carnaval, mas se você não for dirigir, e tiver noção de seus limites, bom... aí um pilequinho é um pecado perdoável.

Um grupo dos mais animados da cidade me passou um e-mail falando das maiores dificuldades de um bêbado:

Coisas que são DIFÍCEIS de dizer quando você está bêbado:

- Indubitavelmente.

- Proliferação.

- Inconstitucional.

Coisas que são EXTREMAMENTE DIFÍCEIS de dizer quando você esta bêbado:

- Especificidade.

- Transubstanciado.

- Três tigres.

Coisas que são TOTALMENTE IMPOSSÍVEIS de dizer quando você está bêbado:

- Puta merda que gente feia...

- Chega, já bebi demais.

- Sai fora, você não é o meu tipo...

MANUAL PRÁTICO

Como agir quando bebeu demais e está com os seguintes sintomas:

SINTOMA: A parede a sua frente está cheia de luzes.

CAUSA: Você caiu de costas no chão.

SOLUÇÃO: Coloque seu corpo a 90 graus do solo.



SINTOMA: O chão está se movendo.

CAUSA: Você está sendo carregado ou arrastado.

SOLUÇÃO: Pergunte se estão te levando para outro bar.



SINTOMA: Você está olhando um espelho que se move como água.

CAUSA: Você está para vomitar em uma privada.

SOLUÇÃO: Enfie o dedo na garganta



SINTOMA: A danceteria se move muito e a música é muito repetitiva.

CAUSA: Você está em uma ambulância.

SOLUÇÃO: Não se mova. Possível coma alcoólico.



SINTOMA: A fortíssima luz da danceteria está cegando seus olhos.

CAUSA: Você está na rua e já é dia.

SOLUÇÃO: Tente encontrar o caminho de volta para casa.

Falando sério... a bebida é quase sempre a companheira das festas carnavalescas. E é a maior responsável pelo número de acidentes de trânsito com vítimas. A bebida é grande responsável pelas brigas que acontecem em festas e bares. E também pela briga de casais nesses eventos (ninguém aguenta o namorado de porre se achando o Tom Cruise e se rebolando todo torto pras foliãs ao redor... ó céus!).

Pesquisas indicam que o consumo de álcool está ligado a incêndios, afogamentos, acidentes de trânsito, acidentes de trabalho, suicídios, quedas, acidentes com barcos, jet-ski, assaltos, brigas, violência, estupro, comportamento agressivo, nervosismo, doenças do fígado (cirrose), tremor nas mãos, dormências, perda de memória, envelhecimento precoce, câncer de boca e faringe, insuficiência cardíaca, anemia, úlcera gástrica, gastrite, hemorragia digestiva, disfunção erétil (sim o pingolin não levanta mais...), entre outros. UFA!!!!

Mesmos cientes de tudo isso, nós bebemos. Os homens bebem bastante, principalmente cerveja, mas chego a querer apostar que quando se metem a beber, as mulheres bebem mais.

A mulherada entorta o caminhão, e não raro, elas saem carregadas por amigas e namorados das festas na cidade. E geralmente vomitam. Mulheres são sensíveis... rsrsrs

O que quero dizer com toda essa ladainha que já nos deixa bêbados é que, infelizmente, hoje em dia, a bebida alcoólica não é mais aquela ponte para uma diversão em um final de semana, ou aquele pilequinho que te deixa mais alegre, sem maiores riscos. Muitas pessoas vêem a bebida como única forma de se sentirem “engajados” no grupo de amigos. Ficar bêbado é a única maneira de mostrar que a festa foi boa, que a turma é divertida, que não é “careta” e que sabe fazer festa.

Quem sabe beber, não colhe maiores consequências. Mas quem não sabe... paga o pato. Passa mal, se dá mal, se envolve em acidentes, brigas, acaba dependente da bebida para se sentir inserido na sociedade e não raro, se envolve com drogas mais pesadas.

Guaporé é uma cidade que está entre as maiores consumidoras de drogas entre jovens e adultos classe média alta, em festas. A “branquinha” aparece como companheira fiel de quem “sabe se divertir”. Ora convenhamos... você percebe quando alguém da turma some da festa, e volta uns minutos depois com os olhos saltando das órbitas.

Infelizmente estamos plantando uma geração dopada e desconectada com a realidade. Colheremos pessoas doentes, dependentes e com graves problemas em família.

Sim, porque a grande diversão de hoje com a turma, precisará, quando virar problema, ser administrada por pais e amigos de verdade. Porque quando vierem os problemas ( e eles virão...) os amigos de ocasião sumirão da sua vida.

A lição que fica é simples: respeite seu corpo, procure alegria e entusiasmo dentro de você, sem precisar estar desconectado da realidade através de doses cavalares de álcool e drogas.

Isso não significa que você não possa aproveitar sua cerveja gelada, nem deixar de provar o sabor delicioso dos espumantes de nossa cidade.

Significa apenas que é necessário conhecer os limites. E respeita-los.

Tim-tim!

No mais, o carnaval de Guaporé foi divertido, animado, e infelizmente, prejudicado claro, pelas chuvas...

E você, gostou?



Escreva para esta querida colunista: michele@tl.com.br

Meu Blog: michelunardi.blogspot.com


Mural de Recados:

Gente!!!! Socorro!!!! Eu quero acreditar que faltaram banheiros químicos no carnaval de Guaporé. Eu quero crer que se houvessem mais banheiros, não haveriam tantos “bombeiros” com as mangueirinhas na mão pelas ruas da cidade!

Inaugurado o Mijódromo: o xixi rolou solto neste carnaval. Da esquina aí da Impacto, até a esquina da Guapofest, a humilde colunista contou no mínimo uns 20 mijadores nos dias de folia em que circulou. Mas que gente porquinha! E o cheiro? Ainda bem que a chuva deu jeito...

As Carnatetéias! Amei o bloco que compôs o carnaval guaporense junto com o Solque I Meio, Trufex e Sabugada. Aliás, parabéns para os organizadores! E parabéns pela festa fizeram.

Márcio Carpenedo! Nesse ano a coisa animou bem mais né! Sexta foi show. Mas ainda... muitos guaporenses vão pular carnaval em Casca... Ah... e aquela minha promessa... eu cumpro em 2012, se o mundo não acabar (e se eu não me acabar)! haha

E pra finalizar... eu não poderia terminar essa coluna de outra maneira, se não com uma marchinha carnavalesca! Todo mundo comigo: “A pipa do vovô não sobe mais...”

2 comentários:

  1. ô minha linda, gente porca e sem cultura, infelizmente se encontra em todo o lugar desse Brasil...

    ResponderExcluir
  2. Quintana se referia ao carnaval como uma alegria triste ...

    ResponderExcluir