Devaneios tolos... a me torturar.

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

De volta ao começo...

Oi gente.

(Sim, nada de “Oi geeeeente!!”)



Hoje estou cansada.
Acho que as vezes você se sente assim também. Olhe ao redor. Observe as pessoas que costumam estar presentes em festas e eventos da cidade. Reparem suas roupas, maquiagem, seus sorrisos e seus assuntos.
Reparem a beleza e o vazio de suas atitudes. Reparem como dançam e balançam seus copos cheios. Reparem nos seus papos vazios.
Todos se conhecem, se misturam e são homogêneos em suas diferenças. Praticamente todo mundo tenta ser igual.
“Me espanta que tanta gente, minta descaradamente, a mesma mentira.”- diriam os Engenheiros do Havaí.
As vezes penso na futilidade das coisas e das relações. Percebo como há uma necessidade de superexposição. São 32 dentes aparecendo o tempo todo. Cabelo impecável. Amigos descolados. Roupas novas. Muito gloss e purpurina. O grande lance é ser amigo satélite de um astro maior, e sugar luz de sua popularidade, afinal é preciso brilhar
Ora, todos temos brilho próprio. Basta sabermos fazer nossa luz acender.

Fico pensando onde estão os amigos de infância, aqueles que andaram de bicicleta e que caíram de árvores com você? Onde está a melhor amiga que ficou do seu lado, quando você sofreu a primeira decepção amorosa de sua vida? Onde estão seus colegas de escola, seus amigos de faculdade? Seus amigos de verdade?

Perderam-se entre escolhas fundamentais entre o ser, e o ter. Entre o sentir e o aparentar.

Eu tenho conhecido tanta gente, tenho conversado sobre tantos assuntos, tenho sido tantas Micheles diferentes, que me perdi de mim mesma.

E noto que tem muita gente se perdendo. O que está valendo é quem está melhor vestido, quem tem o melhor carro, quem tem o maior número de amigos, quem faz a melhor festa, quem fala mais alto, quem tem mais programas na agenda, quem fica menos em casa.

Quero parar e respirar.

Quero que me convidem pra ficar em casa. Para ver um bom filme. Para ler um bom livro. Quero ter um amigo que compartilhe o silêncio. Quero ter paz na solidão.

Quero ficar de pijama. Chinelo de dedo. Cabelo desarrumado.
Quero sentar na varanda, observar a primavera, e se puder, acampar no meio do mato. Quero conviver mais com bicho do que com gente. E de preferência, não, não quero saber das novidades.
Não quero que me desejem, nem que me achem bonita, nem inteligente. Não quero que pensem nada sobre minha aparência. Só quero perto de mim pessoas que saibam quem eu sou, e não como eu sou. E que estejam do meu lado quando meu rosto enrugar e minha bunda cair.
Chega de grupos de homens e mulheres que riem muito, que tem opiniões sobre tudo, mas que no silêncio, se constrangem, e se transformam em estranhos.
O que percebo são sorrisos amarelos, amizades com laços frágeis e sem nós. Nada os prende de verdade.
Muita teoria, pouca prática.

 
A moda é falar sobre quem está com quem, quem traiu quem, deixando de lado assuntos que realmente importam. Falamos tanto dos outros, para evitarmos olhar e falar sobre nós mesmos.
Pense bem, se você for realmente falar de você, alguém vai escutar?

 
É preferível cuidar da vida dos outros, assim você esquece a sua. Vamos fingir ser alegres. Vamos fingir ser bem enturmados. Vamos fingir ser felizes.


 
Por falar nisso, com que roupa você vai sair hoje?



Gente, escrevi isso, como uma crítica geral a todos nós, que as vezes, deixamos escapar entre os dedos o que realmente importa. E aí, quando for tarde demais para resgatarmos esses valores, nenhum prozac dará jeito!



Para finalizar, nossa frase semanal... vamos evitar ficar como o amigo aí embaixo:



“Sou tão solitário que falo com meu caderno. Ele não fala, mas com aquele monte de orelhas ele presta uma atenção...”

10 comentários:

  1. Miche!
    Geralmente, pessoas que se importam em estar no Bapho de tudo, com as melhores, roupas, carros, pessoas e só se importam com quem chifrou quem e etc... são pessoas que não tem nada a oferecer pro mundo.
    Não possuem contribuições válidas. Porque são ocas, medíocres, pequenas...
    E para essas pessoas falta vivência, experiências, falta permmissão.
    E quando a gente se permite, o mundo gira a favor e coloca oportunidades na nossa fuça pra gente sair da bolha e conhecer o redor; saber que o mundo gira com todo mundo dentro dele e não ao redor de um bundão de peito estufado.... de nada.
    É complicado conviver com esse tipo de gente. Parece que, quanto mais os ignoramos, mais eles querem se fazer perceber.
    Por outr lado, existe as artimanhas da vida pra colocar esse tipo de gente no seu lugar.
    E olha, quando a vida decide passar uma rasteira.... não há ser que consiga se levantar.

    Bjocasssss

    ResponderExcluir
  2. BOM DIA QUERIDA MICHELE. STISFAÇÃO MAIS UMA VEZ EM LER SEU POST. E OLHA QUE DEVO CONCORDAR QUE NOS DIAS ATUAIS, NÃO SE FAZEM MAIS AMIGOS COMO ANTIGAMENTE, ACHO QUE ALÉM DA FUTILIDADE, HÁ MUITA MESQUINHARIA E AINDA MAIS INTERESSES NA SOCIEDADE. PARECE QUE AS PESSOAS SÃO AMIGAS DAS OUTRAS MUITO MAIS POR ALGUM INTERESSE, DO QUE PELA AFINIDADE, AMIZADE, DIGNIDADE. O QUE EU ACHO LAMENTÁVEL, POIS EU ACHO QUE SERIA MUITO MAIS GOSTOSO A TODOS VIVERMOS UM DIA - A -DIA TRANQUILO, EM PAZ E BEM A VONTADE, SEM DAR TANTA IMPORTÂNCIA À APARÊNCIA SOCIAL, QUE PARECE SER COMO QUE AS PESSOAS MAIS SE IMPORTAM ATUALMENTE. E COMO DIRIA O JOTA QUEST, VIVEMOS ESPERANDO DIAS MELHORES. BJAUN!

    ResponderExcluir
  3. Pôxa! Nada como amigas inteligentes e com conteúdo. Obrigado a vocês duas, mesmo. Concordo plenamente, vocês complementaram o texto com verdades que estão na cara das pessoas, mas tem gente que se faz de cego.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. MICHE!!! AMORE!!!! COMO SEMPRE TUAS COLUNAS SÃO MARAVILHOSAS!!!!!
    ACREDITO QUE QUANDO A GENTE APRENDER A SE PREOCUPAR MENOS COM O TER...COM O ESTAR...VAMOS PODER VIVER...SENTIR...AMAR...VERDADEIRAMENTE.EU DEMOREI UM TEMPO PRA PODER IR AO MERCADO SEM PASSAR PELA FRENTE DO ESPELHO.DEMOREI UM TEMPO PRA APRENDER A EXPOR MEUS SENTIMENTOS DE VERDADE...E FALAR...FALAR...FALAR QUANDO NÃO GOSTO DE ALGUMA COISA.DEMOREI UM TEMPO PRA PERCEBER QUE QUANDO ALGUÉM GOSTAR DE MIM, VAI SER PELO QUE SOU...AINDA FALTA MUITO PRA EU ME ENCONTRAR DE VERDADE, MAS DE UMA COISA TENHO CERTEZA: PREFIRO MIL VEZES FICAR EM CASA, TODA"BAGUNÇADA", DO QUE SAIR PRA VER COISAS HORRIPILANTES!!!!!!AH!!! COM CERTEZA A MATERNIDADE ME AJUDOU MUITO NESTA MUDANÇA...ANTES PERDIA TEMPO ESCOLHENDO ROUPA...HOJE "GANHO" TEMPO VENDO MEU FILHO DORMIR OU BRINCAR!!!!!!
    BEIJO GRANDE NO TEU CORAÇÃO!!!!!
    SUCESSO E SAÚDE PRA VC...SEMPRE!!!!!

    ResponderExcluir
  5. Parabéns... adorei o blog e seus escrito...
    O que toda mulher deve ler pelo menos uma vez na vida!
    =)

    ResponderExcluir
  6. Oi, Miche!!
    Estava com saudade de deixar comentário, mas é que estes últimos dias foram um pouco "corridos" pra mim...
    Adorei o post/coluna de hoje... Me identifiquei muito com o que tu escreveu, mas no sentido positivo, pois me considero meio "blindada" contra estas digamos... futilidades sociais... Sou daquela que vai pro Baile da Comenda com vestidinho de R$ 35,00, sapato comprado em multi-marcas; que garimpa peças em lojas de departamento ao mesmo tempo que usa uma "Bolsinha Victor Hugo" (ganha do maridão, rsrs), anda de Audi, mas com sapatilha "Moleca" comprada na Renner numa emergência!!! Da mesma forma, que me sinto linda e poderosa num modelito exclusivo que só a minha costureira favorita sabe fazer, para aquelas ocasiões em que eu acho que mereço.
    Acho que a vida é isso... uma mistura de coisas que fazem bem PRA GENTE e não por uma questão de prestar contas para a "alta" sociedade (será alta mesmo???).
    Que cada um aprenda o valor das pessoas e sentimentos e não só das coisas... E se tem algumas "coisinhas" que te fazem bem e que tu pode ter: beleza, vai fundo e seja feliz... !!!
    Em tempo: obrigada pelo Feliz Aniversário... E êêêba, eu tava no Jornal esta semana!!!
    Beijokas, carinhos e boa semana!!!

    ResponderExcluir
  7. É Michele... no fundo.. no fundo... somos todos rasos.Abç.

    ResponderExcluir
  8. Minhas amigas são o máximo! Zé, é o que eu te digo. Um prato de trigo, para um tigre. Bjs.

    ResponderExcluir