Devaneios tolos... a me torturar.

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

A arte de iludir


Oi geeeente!!! Tudo?


Gente amada. Fique espantada com uma plaquinha que li aqui na cidade.

Estava passando em frente a um templo, enfim, um lugar onde as pessoas se reúnem para rezar e li, em letras garrafais:

Afaste-se do mal. Cure as doenças. Dores da alma, problemas nos negócios, em família, no amor. Curamos câncer, AIDS, depressão. Venha se salvar.”


Hã?

Meus queridos, quem colocou aquela cartaz, no mínimo deveria ser preso. E quem segue os rituais para se curar da AIDS, também.

Acredito em Deus, respeito todos os cultos e credos. Se você acredita em uma pedra, e a fé empurra você pra frente. Ótimo.

Agora, enganar o povo prometendo resolver todos os problemas em um passe de mágica, é coisa para a polícia resolver. Cadeia neles.

É incrível como nos iludimos e nos apegamos às mais doidas soluções para os problemas. Eu, quando adolescente, era apaixonada pelos Menudos (lembra daquilo? Eles estavam fazendo um show quando caiu o meteoro que acabou com a era dos dinossauros... sim, sou daquele tempo...).

Bom, mas meu sonho era casar com o Ricky Martin. Fui à cartomante, macumbeira e pai de santo. Li cartas, búzios e tarô. Claro que o Ricky Martin não ia cair no colo de uma adolescente magrela, com cabelo Chitãozinho e Xororó e que ainda tinha bigodinho. (Bendita depilação a laser, senão eu seria a Frida Kahlo guaporense haha)

E o pior: se todas as simpatias que fiz para atrair o Ricky Martin para os meus braços dessem certo... hoje eu teria um gato, lindo e G-A-Y do meu lado. Viram? Tudo que vem fácil demais sempre tem um preço. Eu adoro os gays, mas eles são apenas amigos das mulheres.

O que estou querendo dizer é que nossas paixões nos arrastam para coisas absurdas.

No amor, tem gente que passa a vida toda vivendo de migalhas, se apegando nos raros bons momentos de uma relação, sem enxergar o todo. Sem ver a realidade.

Outros, são apaixonados pela vida, pela sede de viver, e na iminência da morte, desesperados, muitas vezes interrompem tratamentos sérios, apostando em curandeirismo, em rezas e cultos para se livrar de doenças, que sabemos, precisam da medicina e não de rituais macabros. Creio que, nesses casos, a ciência é o braço de Deus.

A fé remove montanhas, os milagres existem. Eu acredito nisso. Mas é preciso dar uma mãozinha para que eles aconteçam.

É muito triste, e muito cruel se aproveitar da dor e da ignorância das pessoas. Usar de suas fragilidades e doenças. De suas paixões e fraquezas.

E não estou falando só dessa igreja que “cura” a Aids. Estou falando de todos nós, que usamos nosso poder de sedução para atrair nossas vítimas e nos aproveitar delas. Usamos o amor do outro em benefício próprio, sem respeitar o sentimento alheio.

Agora, no caso de manipulação em massa, como fazem líderes religiosos fanáticos, políticos corruptos e ditadores, aí, já é demais. Na minha humilde opinião...
Ninguém pode brincar de ser Deus.

“Quanto maior a mentira, maior é a chance de ela ser acreditada.”

A frase, de Adolf Hitler, nos mostra como as promessas e mentiras podem iludir e motivar os atos mais irracionais.

Falando nisso, tem alguma igreja que cure a conta bancária vermelha? haha

5 comentários:

  1. Bom dia Amada Michi...
    Concordo com vc, nossa como existem "Deuses humanos", que agem de forma tão "baixa" e são capazes de convencer as pessoas diante de suas fragilidades ou enfermidades e para quê??? para muitas vezes tirar o pouco qu estas pessoas tem financeiramente. Sim porque na minha opinião quase todas as religioes, credos, crenças e afins em suas "doces promessas" de cura pedem colaborações espontaneas em R$ e muitas vezes as pessoas "doam" tdo o q tem, acreditando na SALVAÇÂO PROMETIDA! (A RELIGIÃO DE CERTO MODO, como um monte de outras coisas, VIROU UM COMèrcio bem organizado, onde o maior beneficiado sempre é o seu responsavel), que lástima isso, DEUS é um Só eu CREIo Nele acima de tdo, mas não me deixo lever por essas falsas promessas não. Acho esse tipo de gente, baixa, mesquinha, de má índole e de pouquissima fé, porque de certo modo eles não praticam o bem e sim extorquem pessoas se aproveitando de sua fragilidade. Eu CREIO EM DEUS E REZO TODOS OS DIAS PARA ELE ME ILUMINAR, pedindo perdão pelas minhas falhas. Um bom Final de SEmana minha querida. BJS.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Miche!!!
    Muito pertinente teu post (coluna) de hoje!
    Também não gosto de nada que remeta ao exagero e ás promessas de "soluções mágicas'... Na vida, ao mesmo tempo que nada é milagre, TUDO é milagre, mas temos que fazer por merecer, ou seja: "confie em Deus, mas amarra teu camelo"... Sensatez faz bem, hehe!!

    Teve uma frase no Facebook de uma amiga que dizia:
    "a falta e o excesso encomodam da mesma maneira."
    Tudo que é demais (seja ambição, seja devoção, seja paixão...) acaba que por gerar um superávit de informações, que sinceramente, não sei se temos capacidade de administrar... Aí é que mora o perigo!!

    Beijos gata, ótimo findi!!
    (Tô amando o livro... Obrigada "di novu"!!)

    ResponderExcluir
  3. É Mi...
    essa é a mais pura verdade...
    as igrejas tem realmente brincado de Deus e com Deus...
    Mas, esquecem que Ele realmente ainda é o Todo Poderoso!!
    Como vc disse: as curas existem sim, mas, Deus também usa a ciência a nosso favor... e os milagres não acontecem para quem paga mais por eles... como algumas igrejas fazem parecer...
    Os milagres acontecem para aqueles em quem Deus encontra verdade!
    bj

    ResponderExcluir
  4. Oi Michele! Os psicanalistas têm uma expressão para isso: pensamento mágico. "Terapeutas", "místicos", igrejas e a indústria de cosméticos são habitués de usá-lo. É que funciona, sempre existem pessoas que transitam no reino do desejo e deixam de lado a realidade. Conheci histórias muito tristes de pessoas prejudicadas em sua saúde por causa disso. Valeu o alerta. Abç!

    ResponderExcluir
  5. E o pior de tudo, é que sempre, em algum momento de nossas vidas, nos deixamos enganar. Pode não ser por algo tão óbvio, mas de alguma forma, nos deixamos iludir e acreditamos em falsas promessas de uma vida melhor.

    ResponderExcluir