Devaneios tolos... a me torturar.

sábado, 7 de maio de 2011

E se cada um cuidasse da própria vida?

Oiii geeente!

Quer mesmo um conselho? Cuide da sua vida.
Você já ouviu aquele ditado que diz “se conselho fosse bom, não se dava. Se vendia”? Eu com certeza ficaria rica.



Sempre fui metida a ter palpite pra tudo (acho que vocês já perceberam haha). Claro que é bom termos amigos conselheiros, e escutarmos as lições de vida de pessoas mais experientes. Mas sempre, antes de absorvermos a opinião alheia, precisamos refletir muito bem sobre as palavras a nós dispensadas. E principalmente, precisamos pensar muito bem antes de aconselharmos alguém.

Na grande maioria das vezes “os outros” têm a fórmula mágica para nossos problemas, mas não conseguem resolver os deles. Outro dia, não sei se com a intenção de me elogiar ou me detonar de vez, uma pessoa culta, inteligente, bem de grana (frustrada???), me disse o seguinte:

- Michele, querida! Parabéns! Adoro ler tua coluna. Quando não tem um bom conselho, tem uma boa piada. Rir e pensar. Dois ótimos exercícios. (Até aí tudo ótimo!!! Sou o MÁXIMO!!!)

Mas... o discurso continuou:

- O que tu está fazendo aqui, minha querida? Se tu continuar assim, vai acabar frustrada. A partir de agora, tu não vai mais ir pra frente. Tu acha que vai ficar rica trabalhando onde tu trabalha? Tu tem potencial pra muito mais. Tu não pode ficar nessa cidade. No meio dessas pessoas. Não te apega a namorado, casa, comodidade. Abra as asas querida. Será que tu não enxerga?

E aí, eu disse: - Com licença, vou até aí me matar e já volto!!!!

Creeedo!!! Então, por morar aqui, trabalhar aqui, estou fadada a ser um profissional medíocre, fracassado, mal pago? E por viver aqui, com quem realmente importa pra mim, meu destino é ser uma mulher infeliz e insatisfeita, em uma cidade que só faltou ser chamada de “orifício retal do mundo”, em meio à gente tão medíocre e infeliz quanto eu?

Quem será que está se sentindo presa a um lugar ao qual não pertence? Quem será que se sente “demais” para a cidade onde mora, para a empresa na qual trabalha? Eu... ou minha “conselheira”?

Porque não posso ser feliz e realizada aqui? Porque tenho que desejar ser a Oprah Winfrey e mudar para os Estados Unidos?

Porque não tenho o direito de conquistar meu espaço entre aqueles que amo, em sua simplicidade, no lugar onde nasci?

E tem mais: seguidamente escuto comentários do tipo “fulano voltou da Europa. Morar de novo em Guaporé, deve ser deprimente”.

Ora, porque não podemos conquistar o mundo e termos o grande prazer de voltarmos ao conforto do “nosso mundo”?

O certo, meus queridos e minhas queridas, é que para os outros, você poderia ter um emprego melhor, um namorado melhor, uma amiga melhor, uma casa melhor, um carro melhor, uma mãe melhor, um filho melhor, um cachorro melhor.

Ninguém vai querer saber se você é feliz, realmente e simplesmente muito feliz com o que é e com quem possui.

Aos olhos de quem nada tem de verdadeiro, você vai continuar sempre possuindo muito pouco ou quase nada.

Mesmo que possua o maior tesouro do mundo.

Pensemos nisso. E não vamos deixar que pessoas assim nos toquem com suas frustrações. Se seguirmos tais conselhos, poderemos ser eternamente insatisfeitos, e verdadeiramente infelizes.

Se cada um cuidasse da sua vida... o mundo seria tão melhor, vocês não acham?

13 comentários:

  1. Penso exatamente como vc minha querida!!!


    Olha a coincidência, fiz um post sobre isso no meu blog em fevereiro

    http://bolsadeaguaquente.blogspot.com/2011/02/complete-frase-no-final-do-post.html

    Beijo,

    Thali
    www.bolsadeaguaquente.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Vou lá espiar!! :D

    ResponderExcluir
  3. Pois é amada, a sociedade costuma cuidar muito da vida dos outros do que da própria saude, e eu tbm costumo dar muitos conselhos free, para não ser cobrada depois, se estes não tiverem valia alguma. Bjs e boa semana.

    ResponderExcluir
  4. O teu "amigo" projetou em você os desejos dele. Faça um exercício: experiemente contestar os conselhos de alguém, questionar sua validade intrínseca. Vc perceberá que são as vontades dele quando o conselheiro ficar fulo da vida e a considerá-la uma ingrata. Ajudar e prestar solidariedade é um coisa, querer realizar-se através dos outros é bem diferente.

    ResponderExcluir
  5. Vc é uma escritora muito talentosa. Adoro seus posts. bjao

    ResponderExcluir
  6. http://youtu.be/fKX2Mu_hDyY um link sobre liberdade, e lembre-se sempre liberddade de expressao e de imprensa valem muito seja sempre o q vc é e escreva sempre para todos os q te admiram muito pelo q és e qm não gostar q se dane. bjão amada

    ResponderExcluir
  7. quer dizer este é o link: http://www.youtube.com/watch?v=fKX2Mu_hDyY

    ResponderExcluir
  8. Isso me fez pensar numa coisa que meu pai sempre me diz: Vá onde quiser, a hora que quiser e fique pelo tempo que quiser mas, se precisares voltar para a tua casa, para as tuas coisas, para tuas raízes saiba que podes voltar quando bem entender porque a casa dos pais para sempre será também a cada dos filhos.
    Fiquei 05 anos em Passo Fundo, muita coisa vivi, aprendi, errei, fracassei e essa vivência toda me fez crescer e adquirir experiência.
    Hoje eu voltei para Serafina e para a casa da minha mãe. Já não sustento mais uma casa sozinha, tive de perder minha manias de pessoa single e aprender a conviver com mais pessoas dentro de casa, aprender a ouvir e divir o espaço....
    Isso não me faz menor, insignificante, fracassada.... pelo contrário, quantas idéias e pensamento cotidianos temos mediante o entorno para o qual voltamos???
    Quanta vontade temos de contribuir com aquilo que aprendemos em outro lugar??
    Muitas, inúmeras.... e eis o grande problema. Fracassado é aquele que passa a sua vidinha inteira dentro de sua bolha e só acredita na própria hipocrisia, acreditando que o bom, o competente, o talentoso só merece os holofotes quando esses talentos poderiam ser reconhecidos para a contribuição desse pequeno lugar maravilhoso que é nossa terra natal, nossa casa para sempre.

    Quem sabe, esse comentário dessa pessoa sirva para refletirmos no seguinte: por que usar meu talento, minha experiência para um mundo estranho se, com ele eu posso ajudar a melhorar o mundo que conheço e que sempre me acolheu??

    ResponderExcluir
  9. Ai que lindo isso Camila! Nunca tinha pensado por este lado! Tem razão!

    ResponderExcluir
  10. Oi prima!
    Tudo bem?
    Achei um blog seu!! Muito legal! Gostei da sua postagem.
    Por que não cuidar da sua vida?
    Já está nos meus favoritos!
    Beijos!
    Frank

    ResponderExcluir
  11. A viagem de volta foi ótima! Estou em Natal, RN. Está muito bom por aqui. Você conhece Natal?
    Esperamos sua visita no Rio...
    Beijos!
    Frank

    ResponderExcluir
  12. Parabéns, guria!
    Me orgulho de ti um bocado, de ter vivido uma época, mesma que curta, contigo.
    Escreves muito bem em todos os sentidos que esta expressão possa denotar. Que o mundo (esse do qual você fala no texto, o nosso, o real mesmo) te conquiste, porque ele, tu já conquistastes.
    Beijo e mais sucesso!

    ResponderExcluir
  13. Obrigado Sarinha!!! Que bom ler isso, que saudadeeeee daqueles tempos de UPF!

    ResponderExcluir