Devaneios tolos... a me torturar.

terça-feira, 24 de maio de 2011

É de ética?



Oi geeeente!!

Imaginem a cena: você e seus amigos, reunidos para um bate-papo, no final do dia, no Clube. Na sua turma, um médico. A conversa gira em torno de amenidades, e de repente entra uma mega gata.
Eis que seu amigo médico fala: - Essa é linda, mas tem gonorréia, acabou de sair do meu consultório... Por favor, me passa a azeitona?

Hã?! Toda a vez que procuramos alguns profissionais, no mínimo esperamos deles ética suficiente para não espalhar nossas histórias. Isso vale para médicos, advogados, terapeutas... não é verdade?

Não, não é verdade. Isso vale para qualquer profissão.

Falo isso porque, infelizmente, a palavra ética parece estar sendo esquecida por profissionais, de todas as áreas. É comum, na falta de algum assunto melhor, as pessoas abordarem confidências profissionais, enquanto tomam tranquilamente uma coca-cola.

Por isso, segredos empresariais, confidências em divãs, consultas na área do Direito viram motivo de fofocas e correm de boca em boca, prejudicando os envolvidos.

É assim com todas as profissões: desde o profissional que faz as contratações, passando pelos chefes, chegando aos funcionários. As pessoas não conseguem mais separar as coisas.

Não conseguem manter uma postura profissional, que não se misture com a vida pessoal e com as rodas de conversa com amigos.

Por isso surgem tantos problemas de relacionamento em empresas, tanto disque-disque que faz os profissionais e clientes entrarem em atrito, tanto pano para a manga.

O concorrente já não é mais concorrente, é inimigo. E vale tudo para se obter informações que possam prejudicar profissionalmente os outros.

Afinal, o que é ética? É o conjunto de normas e princípios que norteiam a conduta do ser humano.

A ética, infelizmente, não é um casaco que você veste e vai trabalhar. É uma prática diária, e precisa ser exercitada na vida pessoal. Um pessoa que não é ética com ela própria, com seus amigos, familiares, amores, dificilmente o será com seus clientes, empregados ou chefes.

Precisamos ser éticos, em primeiro lugar conosco. Para conseguirmos exercitar esta prática com os outros.

Vivemos em uma era em que ninguém mais consegue guardar um segredo. Parece que tudo o que pedem para você não comentar, escapa pela boca e vira uma arma para que você se sinta interessante, e bem informado, porque dispõe de informações que os outros não possuem.

Por isso, tantas vezes, entramos em algum ambiente e sentimos que somos alvo do assunto da mesa ao lado. Talvez, por isso que hoje em dia, saibamos mais do que acontece com os outros do que conosco.

Por isso estamos tão vazios de bons assuntos, e tão cheios de futilidades. E é geral. Não estou falando de beltrano ou fulano. Falo da gente. De mim. De você.

Precisamos resgatar a ética. E principalmente, nos colocarmos no lugar do outro, e guardamos confidências como se fossem nossos próprios segredos.

Quem sabe assim, consigamos construir um lugar melhor para se viver.

Em tempo: essa pauta me foi sugerida. E você pode estar se perguntando quem sou eu, que vivo contando histórias dos outros, para falar em ética. Aproveito para lembrar que 99,9% das historinhas que uso aqui são apenas ilustrações, ou fatos ocorridos com terceiros, que transcrevo como se tivessem acontecido comigo, para não constranger ninguém.

Beijos meus amores!

2 comentários:

  1. oi. Tudo blz? Estive por aqui. Gostei. Muito interessante. Apareça por lá. Abraços.

    ResponderExcluir
  2. ética, praticamente em extinção. bjs amada!

    ResponderExcluir