Devaneios tolos... a me torturar.

sábado, 12 de maio de 2012

Essa não é a minha vida


Essa não é a minha vida. Essa não sou eu.

Quem nunca escutou as célebres frases: Como ela pode deixar aquele emprego maravilhoso? Separou-se de um marido exemplar, dava a ela tudo o que precisava. Não soube criar os filhos, são verdadeiros marginais. O namorado a deixou porque era exigente demais.
Essas e muitas outras explicações resumem, em um só ponto final, algumas das situações mais traumatizantes e importantes da vida de uma pessoa. Resumidas em uma frase.
Como é fácil explicar a vida dos outros, não é mesmo?
As pessoas nos julgam apenas pelo que veem, pelo que ouviram falar, ou por aquilo que deduziram. Não nos conhecem, e jamais irão nos conhecer.
Nossa vida não é o que postamos em nossas redes sociais. Não é a alegria de um jantar em um restaurante cheio de gente. Não são as oito horas de trabalho diário. Nossa vida não é apenas a ocasião social, o beijo apaixonado em público, ou aquela vez que perdemos a cabeça e a pose, na frente dos outros.
Nossa vida é o que acontece entre cada um desses pontos finais. É a solidão, mesmo que acompanhada, as necessidades muito pessoais, e que são tão diferentes entre cada indivíduo.
 Nossa vida é o final de semana que ficamos em casa, ardendo em febre, e os poucos que nos trouxeram remédios, e alento. Nossa vida é a cobrança do chefe, a sensação de desamparo, a alegria desmedida do novo amor. A tristeza por ver, aos poucos, que está perdendo o velho.
Nossa vida é o encontro de almas, e o desencontro também. É a dor de dente, a dor de barriga, a dor de amor. Todo mundo têm.
Nossa vida é o vazio existencial, e a plenitude também. É sentir-se sozinho entre filhos e marido e sentir-se acompanhado na solidão.
Somos muito mais do que os outros vêem. O marido pode ter dinheiro, mas a necessidade da esposa pode ser tempo. O emprego pode ser excelente, mas não permite que o profissional desenvolva seu potencial criativo. A mãe pode ser dedicada, amorosa, e também pode tentar dar limites, mas jamais conseguiu controlar o filho. A namorada pode ser compreensiva, mas de que adianta compreensão em um relacionamento onde não há respeito?
O que acontece dentro de quatro paredes, e o que acontece dentro de nós, não se resume em uma frase. Não cabe em uma definição e não pode ser aprovado ou desaprovado por seu julgamento.
Ninguém é apenas bom ou ruim. Repare na sua sombra. Ela só aparece quando tem sol. A luz é a bondade, a sombra é o lado obscuro da sua humanidade. Repare que muitas vezes sua luz, projeta uma sombra que, em meio à multidão, acaba atingindo alguém.
Isso acontece o tempo todo. Com ou sem intenção, você irá se atravessar na vida e no caminho de outra pessoa. Seja na disputa por um emprego, seja em um envolvimento amoroso, seja por qualquer outra situação do dia a dia.
Porém, isso não torna você apenas bom, ou apenas mau. Mostra que você é um ser humano, com todas as fraquezas, com todas as virtudes, qualidades e defeitos.
Há sim, maldade no mundo. Se não houvesse, os presídios poderiam se transformar em conjuntos habitacionais.  Mas errar, todo mundo erra. E os erros são os melhores professores.
Gosto de pensar que não somos unanimidade, mas que ao longo da nossa evolução, precisamos, apenas, conquistar o respeito de quem realmente importa. Penso que para ser uma pessoa feliz, basta ter a sensibilidade de valorizar as coisas certas.

Rir muito e com frequência; ganhar o respeito de pessoas inteligentes e o afeto das crianças; merecer a consideração de críticos honestos e suportar a traição de falsos amigos; apreciar a beleza, encontrar o melhor nos outros; deixar o mundo um pouco melhor; saber que ao menos uma vida respirou mais fácil porque você viveu. Isso é ter tido sucesso”. Ralph Waldo Emerson


4 comentários:

  1. A vida é um sobe-e-desce em zigue-zague.
    GK

    ResponderExcluir
  2. Hey, dona Mi!
    Tá inspirada hein!?

    Essa definição de sucesso citada no fim do texto deveria ser o Norte pra todo mundo. Pelo menos eu tento fazê-la pra mim.

    Acredito você que já tenha lido "O Efeito Sombra" do Deepak Chopra. Mas se não leu, vale a pena se presentear (ou buscar no Google que já surge também pra download). Fala mais sobre a sombra PESSOAL que limita cada ser em seu próprio potencial e como explorá-la de forma a ser produtivo. Já no seu texto, você cria a sombra como uma figura que causa influência aos OUTROS, às vezes até sem a intenção. Cada pessoa sempre impactando na vida de todas as outras e sendo normalmente atingida também.

    Curti muito seu texto. Sempre original e bem escrito.
    Concordo com muita coisa ali.

    Sigo achando que cada pessoa é um mundo.
    Mas estes mundos colidem pois nossa energia não pertence somente a nós mesmos.

    Beijo, morena.

    ResponderExcluir
  3. Estava sentindo tua falta Felipe! Sempre com as tuas contribuições tão boas de ler. Obrigado pela indicação, não li o Efeito Sombra, vou procurar.
    Um beijão, obrigado pela tua visita!

    ResponderExcluir