Devaneios tolos... a me torturar.

sexta-feira, 4 de maio de 2012

Você vale o que ganha?


Oi geeente!

Você vale o que ganha?
Na viagem que fiz, ao México, eu e meu namorado (que chamarei de Alfa, já que ele me proibiu de falar dele!! Haha), resolvemos alugar um carro. O aluguel sairia mais barato do que os táxis que precisávamos para circular por Cancun. Alugamos um carrinho (bem) pequeno, que se chama Atos. Na saída da locadora, belos, faceiros e espremidos a vácuo no nosso Atos, partimos pelas ruas da cidade. Sabe turista abobalhado, que fica olhando para todos os lados? Pois é.
Eis que de repente o Alfa me cutuca e diz: - Fica fria, mas acho que estamos sendo seguidos pela polícia. (Hã!?)
Eu olhei para trás e gelei. Mas pensem em um carrão. Parecia um Mustang, nas cores azul, branca e amarela, com enormes sirenes gritantes, que acelerava e fazia sinal para pararmos. Não poderia ser conosco! Não fizéramos nada errado!
Mas ERA conosco. Do nada, o guarda tira um auto-falante da cartola e começa a gritar. O Alfa estacionou o Atos, e eu, tremendo da cabeça aos pés, fui verificar o que os policiais queriam. Eram dois ( que apelidei de Fucker and Sucker), e falavam um espanhol muito rápido. Disseram que havíamos ultrapassado o limite de velocidade, que era de 40km hora. Que recolheriam a carteira de motorista e que retirariam a placa do veículo. Também afirmaram que eu estava sendo filmada e que precisaria acompanhá-los até uma delegacia.
Meu Deus! Me senti uma criminosa internacional. E lembrei do filme Diário de Bridget Jones, em que uma confusão faz com que ela fique presa por tráfico internacional de drogas! (Gente, logo eu, que a coisa mais estranha que já experimentei na vida foi carne de lagarto!)
Pois, no meio da conversinha, o policial disse que tudo se resolveria se eu pagasse para ele 1.200 pesos, cerca de 200 reais. PUTZ!!!!! Eles eram dois policiais corruptos, que haviam se aproveitado da nossa insegurança quanto às leis, e nos ROUBAVAM!
Com medo de represálias, de mofar numa cadeia mexicana cercada de cucarachas, paguei a tal propina. Saímos indignados, porque aqueles que deveriam nos proteger, é que eram os bandidos.
Precavidos da ação policial mexicana, passamos a nos arrastar pelas ruas. Circulávamos a 20km por hora. E eis, que no dia seguinte, em uma estrada, estávamos com nosso Atos, quando Alfa me disse : - Fica fria, mas acho que estamos sendo seguidos pela camionete da polícia! (Hã!?)
Sim, my people! Um camionetão gigante estava em cima do nosso microveículo, com aquele megafone de novo! E com a mesma história! Dessa vez, eu sentei na beira da estrada e comecei a chorar. Mas pensem num choro! Uma cara de limão azedo, um bocão gigante e lágrimas grossas a rolar pelo rosto. No final das contas, só faltou o policial me dar dinheiro. Mandou esquecer o episódio e seguir em frente.
Eu segui em frente, mas não esqueci. Apelidamos nosso carrinho de “Patos”. Porque todos que alugavam veículos caíam nas garras da polícia. Acabamos rindo muito da situação, conversando com os mexicanos que já conheciam essa prática e andavam sempre com 5 dólares no bolso.
Mas eu não esqueço de duas lições! 
1- Ninguém resiste a uma mulher chorando (haha)! 
2- Os policiais do México ganham pouco. Os nossos também. Mas o salário que ganhamos não justifica a falta de caráter. Alguns políticos ganham muito, e nos roubam também. Não generalizei. Sei que muitos, a maioria, dos policiais são corretos, têm caráter e honra. Os bons não podem pagar pelos maus. 

Como conclusão, creio que valemos o que praticamos, não o que ganhamos. Dinheiro não significa caráter. Ser mal remunerado não justifica a corrupção. E quem se vende, vale menos do que ganha!
“Nosso caráter é o resultado da nossa conduta”. Aristóteles
Arriba! Besos! Hasta La vista!

2 comentários:

  1. Esta viagem realmente deve sido espetacular.
    Bem que eu desconfiei que aquele sorriso lindo e o ar de encantamento não eram somente pela paisagem paradisíaca.
    Tá explicado então: O Alfa!
    Nada como a comprovação que uma mulher quando está amando consegue ficar ainda mais linda.
    Que esta seja numa das muitas outras viagens que virão.
    Espero que em todas possam se repetir estas aventuras.
    Se eu sou o Alfa, gritaria aos quatro ventos:
    Vejam a mulher linda que está comigo!!!
    Só quero dar um conselho: trata de deixar ela bem feliz e se sentindo realmente como a Princesa que ela é.

    "Pior do que uma mulher que fala o que pensa é uma mulher que escreve, e que ainda por cima chora quando precisa" hehehe

    Te cuida mas não te comporta.
    bj

    ResponderExcluir
  2. Ai que amor!!!! O Alfa que se cuide contigo! hahahaha

    ResponderExcluir