Devaneios tolos... a me torturar.

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Só sei que nada sei!

Só sei que nada sei!




Tem coisa mais irritante que gente ‘sabe tudo’?
E que na maioria das vezes é tão inteligente quanto uma samambaia?

Geralmente sou uma pessoa quieta, na minha. Mas em determinadas ocasiões, quando me pego falando feito matraca, termino por me questionar se não fui chata, se não passei a impressão de arrogante ou dona da razão. Simplesmente porque gente assim me causa comichão e piriri.

Se você perguntar qual o sonho da minha vida, rapidamente vou responder: conhecer o mundo.

Realmente conhecer. Visitar todos os países, conhecer todas as culturas, ter contato com todo tipo de gente, provar todos os pratos, beber de todas as bebidas.

Um sonho impossível. Pelo menos não possível em uma única vida. De acordo com a ONU, somos mais de 190 países. São 6.912 idiomas já catalogados. Só em Papua Nova Guiné, são 850 idiomas falados. Somos sete bilhões de habitantes com línguas diferentes, crenças diferentes, deuses diferentes, que dirá opiniões diferentes.

O mundo é grande demais pra você acreditar que é o único dono da razão. Isso soa ridículo.

Há quem tenha uma esposa e há quem tenha 100. Há quem coma salmão grelhado e há quem coma barata frita. Há quem se cubra até os olhos, e quem ande pelado. Quem está certo, quem está errado?

Quem consegue perceber as coisas desse modo, chega à simples conclusão de que somos muito pequenos, ou de que o mundo é grande demais.

E o pior: tenho a pretensão de conhecer o mundo, e sou incapaz de conhecer profundamente a mim mesma.

A maior e melhor viagem da vida, a mais rica em descobertas, é aquela que fazemos para dentro de nós.

Aquela em que conseguimos ouvir a voz do nosso coração, a que apresenta a nossos olhos as paisagens de nossos desejos e que tem como destino, aquilo que realmente nos faz feliz.

Antes de conhecer o mundo, conhece-te a ti mesmo.

Se te conheceres bem, saberás que és ao mesmo tempo forte e fraco, santo e pecador, bom e mau, sábio e ignorante.

Perceberás que quando apontares o dedo para teu igual, três de teus dedos estarão apontados para ti.

Conhecerás todos os teus pecados e fraquezas, mas aprenderás a te perdoar e ser menos duro contigo mesmo. E assim, não serás mais tão duro em teus julgamentos, com relação aos outros.

A vida é uma viagem, mesmo que a gente nem saia do lugar. Estamos neste barco e jamais saberemos a hora de desembarcar. A única certeza que possuímos é que esta viagem vai ter fim.

Portanto, meu conselho é: vamos aprender a sermos viajantes melhores.

No meu caso, mesmo que ao final da jornada eu não consiga provar todos os sabores do mundo, e não consiga cruzar os sete mares e ter estado em todos os continentes, quero ter a certeza de que fiz valer este provérbio africano que diz:

“Gente simples, fazendo coisas pequenas, em lugares pouco importantes, consegue mudanças extraordinárias”.

Reconhecer que quanto mais aprendemos, menos sabemos, é o grande passo para promovermos mudanças necessárias, em nós mesmos!



Beijos meus amores! Até o próximo porto!



Nenhum comentário:

Postar um comentário