Devaneios tolos... a me torturar.

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

O desafio da felicidade



Oi geeente!


Que calor insuportável, né? Não vejo a hora que esfrie.
Nossa, o sol tá torrando os miolos. Quando vai chover?
Queixas como essas são comuns nas redes sociais, porque são queixas comuns entre nós, ranzinzas de plantão.
Se chove, é porque chove, se faz sol, porque faz sol. No verão, queremos inverno, no inverno, verão.
Será que conseguimos passar um dia inteiro sem nos queixarmos de algo? O cabelo, a roupa, o carro, a casa, o latido do cachorro do vizinho, a comida, o trabalho... tudo é motivo de reclamação.
E sem nos darmos conta, nos tornamos chatos, para não dizer ingratos.
Sempre achamos algo que nos estraga o dia, que nos tira o bom-humor, que nos deixa estressados. Mas o contrário também pode acontecer? Pode e deve.
Um novo aplicativo que faz sucesso na internet propõe exatamente isso: que possamos identificar pelo menos um momento de felicidade por dia. E mais que isso, além de identificá-lo, precisamos registrá-lo.
Ao final de 100 dias, os mais criativos ganham um álbum com as fotos postadas impressas.
Parece fácil, mas não é.
É complicado encontrarmos felicidade em dias extremamente tristes. Mas ela está lá.
Lembro-me, por exemplo, de um Natal muito triste, que passei em família. Na noite do dia 24 de dezembro, minha avó materna faleceu. Ela já estava doente há tempos, e nós tentávamos nos preparar para sua partida. Mas nunca estamos preparados para o adeus da morte. E quando ele chega, traz consigo uma tristeza enorme. Porém, em muitos e muitos anos, aquele foi o primeiro Natal que conseguimos reunir toda a família. Veio gente de perto e de longe, para a despedida. Tenho certeza de que ela ficou feliz, e houve beleza, em meio à dor.
Essa é a proposta, a grande sacada do tal aplicativo. Ter pelo menos um motivo por dia para agradecer.
São cem desafios diferentes!
Um arco-íris, o sorriso do bebê, o tempero da comida da nossa mãe, o sorvete numa tarde escaldante, um trabalho concluído com sucesso, o encontro com o amigo, a lambida do cachorro, o pôr-do-sol, a flor que desabrochou, um mergulho na piscina, o mar.
Uma roupa nova, um presente para alguém, uma boa ação, um obrigado, um abraço apertado, uma festa, um beijo apaixonado, finalmente cair na cama e dormir sossegado, brincar com a criança, andar de pés descalços...
Tantos e infinitos momentos bons podem ser fotografados.
E você não precisa ter computador, internet, smartphone, nem câmera fotográfica. Basta ter sensibilidade, mente aberta, coração leve.
Saber agradecer é algo que precisamos aprender. Ver a beleza das coisas comuns é o caminho para ser feliz.
Ao final dos 100 dias, você vai perceber que, mesmo que suas férias no Caribe tenham sido inesquecíveis, mesmo que o prazer de comprar o seu carro novo tenha sido inigualável, mesmo que a formatura tenha sido um momento único na sua vida, ainda assim, revivendo suas memórias por uma centena de dias, você terá certeza, caro leitor, que a felicidade mora nos momentos que julgamos comuns.
Preste mais atenção neles, e nunca faltarão motivos para sorrir. Até mesmo quando aquela lágrima teima em escorrer.
A felicidade está nas coisas mais simples da vida! E que, no fundo, são as essenciais!

Beijos, meus amores!


Acesse: http://100happydays.com/pt/ e participe do desafio dos 100 dias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário