Devaneios tolos... a me torturar.

quinta-feira, 7 de maio de 2009



O Rico- Rico, o Rico- Pobre e o Pobre- Rico... e nós os pobre coitados que precisamos aguentar...

Ganhar dinheiro em Guaporé não está nada fácil não é verdade? Gente, não por nada, mas a grande maioria dos empregos que surgem por aí pagam não mais que 600 reais.
Infelizmente, com esse dinheiro dá pra sobreviver, mas é preciso muita criatividade para viver bem!

Todos gostam de se vestir bem, de jantar fora, sair para uma noite de festa, viajar, conquistar a independência, estudar...
Mas como? Ora, façam as contas e depois venham tentar me convencer que o salário é bom...

Vejo muitos amigos fazendo malabarismos com o dinheiro. Eu, gremista de pai e mãe, tenho minha conta bancária sempre colorada.

Está tão difícil... principalmente para nós... que somos ricos. Ricos de sonhos, ricos de desejos, ricos de anseios.

Comprei o livro da Martha Medeiros, “Doidas e Santas” e ela comenta sobre os tipos de ricos. Na verdade ela se utiliza de uma entrevista de Washington Olivetto que diz assim, preste atenção:

Ricos- Ricos: movimentam a economia gastando em cultura, educação e viagens e com isso propagam o que conhecem e divulgam bons hábitos.

Pobres – Ricos: não tem saldo invejável no banco, mas são criativos, efervescentes, abertos. A riqueza desses dois grupos está na qualidade de informação que possuem, na sua curiosidade, na inteligência que cultivam e passam adiante.

Esses dois grupos fazem com que uma sociedade se desenvolva. Infelizmente são os dois grupos menos significativos na sociedade brasileira (e claro, óbvio, na sociedade guaporense.)

Segundo a Martha Medeiros ( e eu concordo) o que temos aqui em abundância são os Pobres-Pobres, baixíssimo poder aquisitivo e quase inexistente acesso à cultura. Infelizmente não ganham, não gastam, não aprendem e não ensinam: ficam à margem, feito zumbis.

E claro, temos (E COMO TEMOS POR AQUI HEIN????) os Ricos-Pobres. Esses... poderiam fazer desse país um lugar chamado civilizado, mas nada disso: eles só propagam atraso, só propagam arrogância, só propagam sua pobreza de espírito.

Comecem a citar comigo quantos Ricos Pobres temos em Guaporé! Sim, tem dinheiro, mas só dinheiro. Como diz a crônica do livro... eles não tem verniz.

Sabe aqueles filhinhos de papai que encontram tudo pronto, colocam tudo a perder e desvalorizam a cidade e todas as pessoas que moram nela?

Sabe aqueles que passam por aí com o carro do ano e que não gastam um tostão ajudando uma entidade, patrocinando um projeto, incentivando alguém a ter uma chance na vida?

Sabe aqueles empresários novos ricos que pensam que engoliram o rei e só conseguem olhar pra cima, porque olhando pra baixo podem ver que na linha de pobreza há muitos pobres que valem muito mais do que eles?

Odeio gente arrogante, prepotente, que esfrega o poder e o dinheiro na cara dos outros achando que podem comprar o mundo. Desculpe queridos, educação, bom gosto, sensibilidade, inteligência, não estão à venda.

Fechar um BOM NEGÓCIO não significa ser um BOM SER HUMANO.

As pessoas mais interessantes que conheço sabem apenas usar o dinheiro para conquistar a felicidade, nunca para compra-la... até porque tem coisas que não estão à venda.

A consciência popular (dos ricos pobres) diz que o importante é aquele carrão, que os bobos alegres desfilam por aí como se fosse mais importante que um diploma de Doutorado em Harvard. E você vai conversar com eles, e não tira proveito de palavra do que sai daquelas bocas, pois só sabem falar em banco de couro, potência do motor e financiamentos na BV Financeira.

Não estou dizendo que não é legal ter um carro bacana, ou se divertir falando besteiras com os amigos. Não me interpretem mal. Estou dizendo que é preciso algo mais, que apenas isso.

E vou encerrar o assunto copiando na íntegra um trecho da crônica da Martha Medeiros, doa a quem doer...

“ Os ricos pobres pedem no restaurante o vinho mais caro e tratam o garçom com desdém. Vestem-se de Prada e sentam com as pernas abertas, vão a Paris e não sabem quem foi Degas ou Monet. Possuem três tvs de Plasma nos aposentos da casa e só assistem programas de auditório. Mandam o filho pra Disney e nunca foram pra uma reunião de escola, e claro, dirigem um Audi e jogam lixo pela janela. Uma esmolinha pra eles, pelo amor de Deus!”

Já que estamos aqui para aprender... e já que nossa caminhada é um eterno aprendizado, que tal tirarmos o máximo de proveito disso?
Vale a pena... se a alma não é pequena!


Maravilhosos.... os livros da seqüência de Crepúsculo! Eu juro que mergulhei de volta na adolescência e não consigo parar de ler. Já li Lua Nova e estou no fim de Eclipse... alguém por favor pode conseguir Amanhecer pra mim? Urgente!!! Chega me dar comichão de vontade de saber o final da história. Sobre os filmes, Crepúsculo é muito lindo, e os atores conseguem encarnar bem os personagens do livro. Lua Nova será lançado neste ano!


O novo português... gente, a reforma ortográfica está dando nó no meu cérebro... às vezes o próprio programa de correção do word acaba provocando pequenos erros. Nossa língua materna não é nada fácil, mas é nossa obrigação falar e escrever corretamente. Aos poucos vamos nos adaptando. Com o passar das semanas, vou deixar algumas regras, para você já ir se acostumando à nova escrita!

Aí vai uma delas, decore e pratique:
Reforma ortográfica : "Jamais trema em cima da linguiça!"

Um comentário: