Devaneios tolos... a me torturar.

quarta-feira, 17 de março de 2010

São as águas de março fechando o verão



Neste verão eu e minhas amigas lindas iríamos viajar em turma. Seria muito divertido, e teríamos muitas histórias para contar aos nossos netos.

Também havia combinado de jantar com a June nesta semana. E de reunir em casa a Vane, a Ka, a Tica. Havia planejado fazer um programa diferente com minha mãe... que tal leva-la para um cineminha no shopping?
E iria tomar um mate doce com a Cris.

Queria ter oportunidade de conversar longamente (e pessoalmente) com a Fabi, e com a Simo. E de fazer a festa na piscina da Lili.

Também planejamos de acampar no carnaval com o Edi.
Ah... e eu faria um churrasquinho na piscina de plástico, na laje lá em casa, para as amigas super peruas que tenho.
A Mari ia ir lá em casa. Fiquei de tomar um cafezinho com a Chica, no Banrisul. Que saudade da Taci, aquela serelepe!

Iria conhecer o Azedo, da Lisi e do João!

Ah... e o Rodrigo ia me contar todos os detalhes da viagem para a Austrália e para a Tailândia.

Iria passar uns dias em São Paulo com o Cassiano. E planejava ligar para minha amiga Ju, que está morando na Espanha.
Talvez escrever meia dúzia de e-mails para pessoas especiais.

Ia me desculpar com alguém muito querido, que xinguei em um momento de fúria. Será que ainda está chateado comigo?

Iria fazer novas amizades e consolidar ainda mais as antigas. Movimentar com grandes acontecimentos sociais o meu verão. A estação das férias, das tardes mais longas, das caminhadas, dos papos de final do dia...
Iríamos cantar até ficarmos roucas com a Pê.

Iria ver o sol nascer na praia. Veria a lua cheia majestosa no céu, depois de inesquecíveis noites na companhia de pessoas especiais.

Iria, pretendia, faria... não aconteceu.

Simplesmente mais um verão passou e isso não aconteceu. Posso dizer que faltou tempo, é verdade. Mas também sobrou tempo, porque quantas vezes fiquei sozinha na minha casa, na minha cama, assistindo a novela, lendo um livro, ou simplesmente pensando na vida?

Quantas vezes me senti sozinha e nostálgica em pleno verão?

O que quero dizer com isso tudo é que gostamos das pessoas, queremos estar perto delas. E planejamos isso. Mas mesmo que os encontros não aconteçam, é bom sabermos que somos queridos e que temos opções de companhia. Pessoas que valem a pena. Perto ou longe. Real ou virtualmente.

É ruim nos despedirmos do verão, a estação onde tudo é possível. Mas também é bom dizer:

“Olá inverno, bem vindo frio. Bem vindo tempo de pensar e refletir. Tempo de cafés e chás. Tempo de cobertores, pipoca e filmes. Tempo de faculdade, muito trabalho, compromissos e pouco tempo para a diversão.”

Pois é justamente quando temos menos tempo, que mais aproveitamos ele.
Então, se no verão não deu... espero vocês com uma taça de vinho tinto em uma noite de inverno. Ou que tal um encontro casual no supermercado, no salão de beleza, em um evento social? Encontros não programados são divertidos. Quem sabe?

E se ainda assim não nos encontrarmos, valeu pelo menos, a intenção do encontro....

"... Os encontros mais importantes já foram combinados pelas almas antes mesmo que os corpos se vejam..."- Paulo Coelho.

Campanha Bora Fabito! Fábio Grando é um jovem guaporense, que mora em Brasília e que está unindo amigos, familiares, conhecidos e desconhecidos em sua luta: voltar a andar. Fábio sofreu um acidente, após um mergulho em uma piscina, e em função disso, ficou tetraplégico, no ano de 2006. Na época estudante, hoje, Fábio é jornalista formado, um jovem com muita vida correndo pelas veias, muitos projetos em andamento, muita coragem para superar desafios e um sonho: voltar a andar. Em busca de tratamento de ponta nos Estados Unidos, que custará cerca de 100 mil reais, Fábio está realizando uma grande campanha. Envolve eventos em Brasília, onde mora, venda de camisetas, ações entre amigos e eventos em Guaporé. Um desses eventos acontecerá dia 27 de março, na Psy, onde a renda da festa será revertida ao tratamento de Fábio. Hoje, segundo dados publicados no blog do jornalista, 53 dias de tratamento já estariam garantidos. Mas o objetivo final é de 180 dias nos Estados Unidos. Se o tratamento surtirá o resultado esperado, ninguém pode afirmar. Mas é a esperança, a força de vontade, a determinação e a solidariedade que ajudam Fábio a dar cada passo dessa caminhada. Quer ajudar Fábio a tentar? Faça qualquer depósito para: Banco do Brasil – Agência: 3596-3 – Conta corrente: 9411-0

Nós Mulheres... gente, recebemos muitos elogios sobre o especial dedicado à mulher, publicado na última edição. Estávamos mesmo comentando lá na redação do Jornal, que foi-se o tempo em que valia o ditado de que “por trás de um grande homem, vem uma grande mulher.” (mesmo porque com a falta de homem no mercado, gente, atrás de um homem, já é normal vir outro homem rsrsrs).

Mas falando sério: vocês sabiam que Guaporé é uma das cidades da região com o maior número de mulheres independentes financeiramente? E que o poder aquisitivo das mulheres está cada vez maior? Que o número de divórcios no Brasil cresce à medida que cresce a independência financeira das mulheres? Isso porque a mulher já não precisa aguentar calada uma relação infeliz, só porque depende do dinheiro do marido. Já é comum a mulher ser a que mais ganha na família! E daí? Não acho que os homens devam se sentir diminuídos com isso. Devem ter orgulho.

Muitas mulheres, em contra partida, por opção, preferem largar grandes carreiras, ou bons empregos, para cuidar exclusivamente das famílias. Parabéns a elas também!

Liberdade de vida, de escolha, de atitude. Liberdade de eleger o compromisso que quer firmar para ser feliz! As mulheres merecem isso! E principalmente, chega de pré julgamentos e rótulos!

Mas... falando com uma amiga minha, casada com um figurão da cidade... eis que ela me diz...

- "Fui eu que fiz o meu marido milionário".

- "E o que seu marido era antes?" – pergunto eu..

Ela responde: - "Bilionário".

Toma o que te mandaram!!!

4 comentários:

  1. Oiiii!!!

    A "Fabi" aí em cima sou eu??? Pois é, se for, eu também queria ter tido esta conversa... Mas o verão passa tão depressa... Vamos renovar a promessa pro inverno, sabe como é, um dia dá certo!!! Somos brasileiras, e mulheres: não desistimos NUNCA!!
    A campanha do Fábio está bombando... Segunda vou pra lá (a trabalho), mas se precisar que eu seja a "ponte" para alguma coisa, me avisa!!!
    Obrigada pelo carinho e dedicação na campanha, em nome de toda família.
    Beijão...

    ResponderExcluir
  2. Uma crítica às mulheres: digam em alto e bom som o que querem dos homens. Mas sejam realistas. Talvez sejamos mais felizes.

    ResponderExcluir
  3. hahahaha nem nós sabemos o que queremos dos homens... mas quando soubermos... não vamos contar! hehe

    ResponderExcluir
  4. E sim Fabi... a Fabi em questão é mesmo a senhorita! (senhora rsrs)

    ResponderExcluir