Devaneios tolos... a me torturar.

segunda-feira, 2 de julho de 2012

Argila

Liberte quem você ama, de você mesmo, de suas neuras, de seus dramas. Ninguém merece, em nome do amor, ser argila, moldada a nosso favor.

3 comentários:

  1. O elefante acorrentado

    Você já observou elefante no circo? Durante o espetáculo, o enorme animal faz demonstrações de força descomunais. Mas, antes de entrar em cena, permanece preso, quieto, contido somente por uma corrente que aprisiona uma de suas patas a uma pequena estaca cravada no solo. A estaca é só um pequeno pedaço de madeira. E, ainda que a corrente fosse grossa, parece óbvio que ele, capaz de derrubar uma árvore com sua própria força, poderia, com facilidade, arrancá-la do solo e fugir. Que mistério! Por que o elefante não foge? Há alguns anos descobri que, por sorte minha, alguém havia sido bastante sábio para encontrar a resposta: o elefante do circo não escapa porque foi preso à estaca ainda muito pequeno. Fechei os olhos e imaginei o pequeno recém-nascido preso: naquele momento, o elefantinho puxou, forçou, tentando se soltar. E, apesar de todo o esforço, não pôde sair. A estaca era muito pesada para ele. E o elefantinho tentava, tentava e nada. Até que um dia, cansado, aceitou o seu destino: ficar amarrado na estaca, balançando o corpo de lá para cá, eternamente, esperando a hora de entrar no espetáculo. Então, aquele elefante enorme não se solta porque acredita que não pode. Para que ele consiga quebrar os grilhões e se ver livre é necessário que ocorra algo fora do comum, como um incêndio por exemplo. O medo do fogo faria com que o elefante em desespero quebrasse a corrente e fugisse.
    A única maneira de tentar de novo é não ter medo de enfrentar as barreiras, colocar muita coragem no coração e não ter receio de arrebentar as correntes! Não espere que o seu "circo" pegue fogo para começar a se movimentar. Vá em frente!

    Autor desconhecido

    Não permita jamais, que alguém sequer tente mudar ou domar teu espírito livre!
    Te cuida mas não te comporta.
    Bj

    ResponderExcluir
  2. Adorei isso, vou utilizar nas minhas crônicas!! Um beijo!

    ResponderExcluir
  3. Vejo o vaso de barro como a gente. Para ficar um lindo vaso, precisa ser moldado, amassado, aperta dali e daqui. Às vezes não sai da forma que o Oleiro deseja. E aí, amassa, aperta tudo de novo. E um dia saí um belo vaso.O mais interessante que, para o externo aparecer, aqueles desenhos lindos, é mexido por dentro e a beleza que fica pelo lado de fora do vaso, aparece. E depois acaba com pequenos retoques nos belos detalhes por fora.

    Assim nós somos moldados. Até sermos quebrados e novamente moldados....

    Tudo coopera para nosso favor... Apenas o Oleiro, vai nos moldando da melhor forma possível...


    Bjs doces!!!!Vejo o vaso de barro como a gente. Para ficar um lindo vaso, precisa ser moldado, amassado, aperta dali e daqui. Às vezes não sai da forma que o Oleiro deseja. E aí, amassa, aperta tudo de novo. E um dia saí um belo vaso.O mais interessante que, para o externo aparecer, aqueles desenhos lindos, é mexido por dentro e a beleza que fica pelo lado de fora do vaso, aparece. E depois acaba com pequenos retoques nos belos detalhes por fora.

    Assim nós somos moldados. Até sermos quebrados e novamente moldados....

    Tudo coopera para nosso favor... Apenas o Oleiro, vai nos moldando da melhor forma possível...
    Jeremias 18.1-4

    Bjs doces!!!!

    ResponderExcluir