Devaneios tolos... a me torturar.

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Efeito Borboleta

Oi geeente!

Você sabe que toda ação gera uma reação. Tão certo quanto dois e dois são quatro, tudo o que a gente faz tem uma consequência.
Porém, na maioria das vezes, não temos noção de qual reação enfrentaremos. Aí, entra outro ditado: você atira no que vê, e acerta no que não vê.
Falo sobre isso, porque, passado o calor do momento, todos nós temos condições de avaliar o que aconteceu em Guaporé, na boate Absolut, quando um spray de pimenta acionado em uma festa que concentrava em torno de 500 pessoas, acabou se transformando em uma ação de terror, um crime que ganhou repercussão nacional e que colocou em risco a integridade física das pessoas que participavam da festa. A dificuldade de respirar, aliada à lembrança da tragédia na boate Kiss, somada ao desespero que tomou conta de todos, causou um verdadeiro estouro da boiada, expressão usada para definir algo que fica completamente fora de controle.
Apavoradas, as pessoas correram, se empurraram, caíram, foram pisadas. Claro que a estrutura do local possibilitou que nada grave acontecesse, mas até mesmo uma morte poderia ter ocorrido. Um tombo mais feio, uma batida na cabeça, enfim, uma fatalidade daquelas que passamos toda uma vida nos perguntando: porquê?
Pois eu duvido que ao sair de casa, o autor do crime tenha considerado essa hipótese. Jamais deve ter passado pela cabeça dele a consequência do ato. Nem no pior pesadelo acharia que tal seria a repercussão, que colocaria Guaporé nos principais noticiários estaduais e até mesmo nacionais.
Histórias como essa nos fazem pensar- e muito- sobre as loucuras que cometemos, os riscos que corremos, e os danos que podemos provocar, quando cegos, somos movidos por paixões, por ódios, ou pelo sentimento de impunidade, ou desforra.
Alguns sentimentos, aqueles que provocam uma certa cegueira e irracionalidade, são potencialmente perigosos. Todos nós, em algum momento da vida, nos colocamos em perigo.
Sexo sem camisinha. Traição. Alta velocidade. Álcool e direção.
Quem nunca assumiu grandes riscos? Há quem os assuma todos os dias.
Brincadeiras de mau gosto, atitudes que expõem os outros ao ridículo, ou os expõem ao perigo.
O resultado? Assistimos no noticiário todos os dias: acidentes vitimando inocentes, crimes passionais, traumas carregados por toda uma vida.
Claro que se pudéssemos prever o futuro, nunca correríamos tais riscos.
Mas, muitas vezes, sem nos darmos conta, nossas atitudes atingem pessoas que jamais poderíamos prever.
Quando um tsunami destrói toda uma costa, causando mortes, culpamos a água. Porém, foi o movimento nas entranhas da terra, que deu início à catástrofe.
Quando uma borboleta bate asas ao nosso lado, pode provocar um tufão no outro extremo do mundo.
Algumas reações ganham força e poder, mesmo que tenham sido iniciadas por uma pequena atitude, que antes parecia tão inocente, tão boba, tão imatura.
Eu sei que ninguém tem bola de cristal. Mas se pudesse dar um conselho, a você e a mim mesma, diria que antes de tomarmos qualquer atitude, movidos por algum sentimento questionável ou incontrolável, deveríamos pensar não dez, mas mil vezes.
Porque, infelizmente, arrependimento não muda a história. Pode até redimir culpados, mas jamais conseguirá modificar o passado.
Escolhemos o que semear, mas somos obrigados a colher o que plantamos!

 Um beijo meus amores!

Nenhum comentário:

Postar um comentário