Devaneios tolos... a me torturar.

sábado, 14 de janeiro de 2017

Não entre, sem ser convidado!

Por favor, não invada a linha do tempo de uma rede social como quem entra na casa de um amigo ou conhecido e vai direto à geladeira servir-se de cerveja, azeitona e queijo picado. Não deite no sofá da timeline com o controle remoto da televisão na mão, com seus canais favoritos sendo zapeados, enquanto o dono da casa assiste perplexo o hóspede espalhado. Sinceramente, o comportamento de quem comenta suas postagens fala muito mais sobre o visitante do que sobre você.
Com exceção de perfis preconceituosos, que incitem violência, cada um é livre para postar o que quiser, quando quiser, como quiser.
Esse ambiente familiar chamado Rede Social é como a casa da gente. Portas fechadas, pequena, recatada, minimalista, limpa, cheirosa, organizada, florida. Bagunçada, enorme, portas escancaradas, sujeira pra todo lado, terra seca. Têm os acumuladores, aqueles postam tudo o que fazem e aqueles que só observam.
Os que são de esquerda, de direita, e volta no meio.
Os que sambam, os que pagodeiam, os que dançam vanerão e outros que odeiam sertanejo, funk e Wesley Safadão.
Tem eu, tem tu, tem vós, pais, mães, tios, tias e tem eles também.
Tem quem viva deitado no sofá e tem aqueles que vão pra rua.
Tem quem bata panela e tem quem afirme que é golpe.
Tem de tudo um pouco. Cada um espiando pela janela.
Agora, dar pitaco na casa do outro, limpar sua sujeira no tapete do vizinho é no mínimo muito, muito chato. Pra você, é claro.
Desde que o mundo é mundo, é preciso conviver com as diferenças. Principalmente com as diferenças de pensamento.
Manter uma certa linha de respeito, dignidade e civilidade é fundamental, até mesmo numa rede social. Não seja o chato palpiteiro em terreno alheio.
Cuide da sua casa, cultive seu jardim, regue suas rosas e cuide bem da sua vida. Reveja suas atitudes, mantenha os limites do seu espaço e respeite o espaço do outro.
Eu sou católica, mas tenho inclinações pro espiritismo, heterossexual, mas super apoio o amor em todas as formas, no mundo LGBT eu sou S. Leio horóscopo, acredito em ETs, meu livro preferido é “O Pequeno Príncipe”, apoio quem não come carne, mas ainda não evoluí suficientemente para abrir mão do churrasco. Isso não me descredencia a defender os animais. Talvez me torne um pouco hipócrita, verdade. Sou casada só na prática, não no papel. Nunca quis subir ao altar vestida de noiva. Tenho uma filha, que vai ser filha única. Não pretendo acumular bens nessa vida, me contento com minha casa e minha bagagem de viagens, que espero que sejam muitas, até o fim da jornada. Se tudo der errado, eu começo outra vez, tudo bem. Acho que sou de direita, mas já votei na esquerda e votaria de novo, se acreditasse nas boas intenções de alguém.
Sou o que sou, mas amanhã serei diferente, e por incrível que pareça, embora às vezes me sinta um pouco incomodada com coisas que considero radicalismo, convivo perfeitamente e harmonicamente com tudo aquilo e aqueles que são o oposto do que sou e do que penso.
Eles me transformam e me fazem ser o que serei amanhã: melhor que hoje.
Não lembro de ter dito uma palavra ofensiva a alguém que fosse totalmente diferente de mim ou contrário àquilo que acredito. O que não me faz melhor que outras pessoas, porque sinceramente, mentalmente já dei voadora no peito de muita gente chata. O fato de não ter dado é que faz toda a diferença nesse mundo violento.
Violento em palavras, gestos, emoções. Gente que escancara e publica todo o ódio, o destempero e o desequilíbrio possível e imaginável.
Gente que não poderia ter um perfil numa rede social, porque sinceramente, jamais teve perfil para conviver em sociedade, já que para (con)viver em sociedade, respeito é o ingrediente básico. Então, tire seus pés de cima da minha mesa, devolva-me o controle remoto da minha televisão, feche a porta da minha geladeira e só entre na minha casa se for para fazer meu dia melhor. Caso contrário, ficaria imensamente grata se você parar de me visitar.
E juro, nem vou sentir sua falta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário