Devaneios tolos... a me torturar.

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Cuidado com o over...



Oi geeeente! Tudo?

Nesta semana andei observando a necessidade que ser visto e lembrado. Não é à toa que quase todo mundo possui orkut, facebook, twitter, blog, site, etc, etc, etc. E se bobear, tá de calcinha e sutiã em um outdoor na entrada da cidade!
Com a democratização da internet e com a rápida exposição para o mundo inteiro, todo mundo tem seu espaço e pode virar celebridade. Mas aí o universo virtual se divide em dois grupos: os que tem muito a dizer e a mostrar, e os que nada tem a dizer e vencem pelo ridículo.
Queridos, amados, idolatrados... a necessidade de registrar seu modo de pensar, suas ideias, suas viagens, seus amigos, sua opinião, seu talento, é uma coisa muito positiva. Em qualquer lugar que você esteja, você acessa seu note book e lá está, diante dos seus olhos, toda sua vida. É possível mostrar suas aventuras a parentes e amigos distantes, ou simplesmente, matar a saudade de pessoas e momentos, ali, na tela do computador.
É possível demonstrar seu talento artístico, através de vídeos caseiros, e torcer, para quem sabe, algum caça-talentos descobrir você no You Tube!
Lembre-se sempre de não deixar disponíveis dados pessoais, como telefone, endereço, ou qualquer dado comprometedor. Há muitas pessoal mal intencionadas. Na vida real ou virtual.
O mundo da net tem muitas vantagens! Mas por outro lado... o que se vê é um verdadeiro show de horrores.

Aqui em Guaporé, agora criou-se a turma do “Todo mundo tá feliz? Tá feliz! Todo mundo quer dançar? Quer dançar!”...

Jesus-Maria-José! A mulherada cai na balada, e geralmente volta pra casa só com gripe na carona do carro. E pra registrar a felicidade “mor” de ser solteira e mega-hiper-super-feliz... bate novencentas e noventa e nove mil fotos. Elas se agarram no banheiro (básico), na cozinha (geralmente com a pia cheia de louça suja), no quarto (que tem roupa, chapinha, calcinha suja, secador de cabelo, cachorro, gato, galinha e papagaio espalhados pelo chão). Elas aparecem se passando a mão na bunda, e com as coxas em evidência, e às vezes agarradas a uma garrafa de Caninha 51, fazendo caras e bocas. O resumo do piegas. O quadro da dor. Na moldura do desespero.

Tudo bem, registrar uma ou outra festa das luluzinhas, engraçada, com fotos hilárias, e rir depois com as amigas. Mas essas fotos que cito, aparecem TODOS os finais de semana, e já começam na quinta, parando de pipocar no domingo à noite.

E as casadas-solteiras-viúvas-freiras? Gente, elas começam a namorar e já colocam no status do orkut: CASADA! Entram no orkut do bofe e deixam lá suas marcas, colocando a aliança no dedo virtual do pobre homem também. Dias depois, estão “solteiras”. Na semana seguinte, “namorando”, e depois de um mês, amaldiçoando os homens e jurando serem fiéis somente ao nosso Pai do céu, já que nenhum homem presta.

Quando amam, postam fotos dos dois deitados na cama, limpando a sujeira do ouvido um do outro, tirando pelinhos românticos do nariz, ou correndo nus pelo morro do Gallon. Quando brigam, mandam frases desaforadas, geralmente com péssimo português, do tipo: “Meu findi foi ENESQUECÍVEL! Agora você me perdeu, axa o que?” ou “Agora sou SOLTERA e ninguém vai me SEGURÁ” e ainda “Fica com aquela PIRUA, me perdeu”.

Socorro meus lindos! Até o ridículo tem limites. Vamos expor o que é para ser exposto. Vamos compartilhar o que é para ser compartilhado. Vamos registrar o que merece registro. Essa história de bater foto sentada no vaso e postar no twitter, no mínimo, cheira mal.

É muito engraçado ver o Mike do Mosqueiro cantando Tcha naná! Mas sua mãe de calcinha e sutiã em book caseiro exposta no orkut, aí é um pouco demais!!!

Falando sério (mais sério): quem nunca cometeu um pecado desses aí, que atire a primeira pedra. rsrsrsrs

3 comentários:

  1. Oi, Michele. Existem pessoas que não superaram o exibicionismo próprio da infância. Precisam do olhar do outro como um espelho para regular sua autoimagem. Muitas bizarrices dos sites de relacionamento podem ser comparadas a "crianças que gostam de se mostrar" (molecagens, desafio das normas),fase necessária ao desenvolvimento quando a criança começa a se tornar independente e precisa ser vista para se constituir como sujeito. O exibicionista não se suporta, precisa do olhar alheio como uma lente de aumento. Não desenvolveu a capacidade de estar a sós.

    ResponderExcluir
  2. eu li isso e lembrei de varias pessoas que eu tenho no orkut que colocam foto ate quando estão dormindo

    ResponderExcluir
  3. hahaha a gente vê de tudo né? Mas no fundo é engraçado!

    ResponderExcluir