Devaneios tolos... a me torturar.

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Poema da eterna despedida.

É incrível como tem um momento certo pra tudo na vida. Um encontro, por exemplo: pode ser apenas o acaso, ou pode ser o destino. Um desencontro. Pode ser somente mais um fato, ou pode ser um carma longo e sofrido.
Quando não tomamos a decisão certa, na hora certa, embaralhamos os destinos e passamos, sem querer a interferir no destino dos outros.
Durante muito tempo, alimentei a indecisão. Depois, tomei a decisão, e não fui correspondida.
Então, decidi virar a página e mudar de estrada.
Mas em cada curva do caminho, alguém me seguia. Desde então, não consegui mais me livrar dessa sombra. Chega a ser triste esta presença, às vezes silenciosa, às vezes não.
Às vezes só a zelar, às vezes a sussurrar belas palavras, curtas e que soam tão sinceramente.
Às vezes, um raro toque. E assim, nunca o esquecimento.
Como é ruim não conseguir, não poder, não receber o consentimento para o fim.
Gostaria de ficar só com as lembranças, pois, futuro não há.
Mas sei, e por suposto, deve ser de conhecimento geral, que uma história de amor só termina, quando dois colocam um ponto final.

11 comentários:

  1. Nossa Michele, ficou mesmo lindo, obrigado! Já copiei... vou arrasar!!! rsrs

    ResponderExcluir
  2. Michele...
    É sempre um prazer pra mim visitar teu blog e ver textos tao lindos :D
    Parabééns pelo blog, quase todo dia dou uma passadinha pra dar uma olhada!
    BeeeeijO Milla.

    ResponderExcluir
  3. aiii obrigado! Fico muito feliz mesmo que as pessoas gostem do que escrevo!

    ResponderExcluir
  4. O pior de um amor é quando ele fica nas "reticências"!!!
    Lindo texto!!!
    P.S.: Pode escrever e publicar mais, eu também passo aqui todos os dias...!!!

    Beijos, gata!

    ResponderExcluir
  5. Rafaela Tatagiba25 de maio de 2010 11:00

    Jesus eu AMEI! Micheli... este poema É JUSTAMENTE O QUE ESTOU PASSANDO.

    Ás vezes podemos também ficar no ponto e vírgula (que é uma pausa mais longa).Em determinado tempo de nossa vida, com aquela pessoa cujo gostamos ou até mesmo amamos; para que haja um recomeço. Mas o ponto final, creio eu, que não dependa UNICAMENTE e EXCLUSIVAMENTE dos dois. Mas em determinadas "orações" (relacionamentos), algum "sujeito" (uma das pessoas); precisa colocar o ponto final. Pois se não, ficará sempre na "reticências".

    ResponderExcluir
  6. eu queria ter mais tempo pra escrever o que vem pela cabeça, ou as sugestões que recebo... mas quando sobra um tempinho... vou escrevendo. E vcs sempre complementam, sempre colocam um outro ponto de vista, acrescentam. Isso que é legal desse lugar aqui...
    obrigado!!!

    ResponderExcluir
  7. Bom texto, conseguiu expressar uma fase a qual todos nós um dia passamos....

    ResponderExcluir
  8. Miche!
    Sem tua prévia autorização, publiquei este post no meu blog... Tá tão perfeito que eu não poderia deixá-lo de fora...
    Mesmo que no MEU blog, EU seja a visitante mais assídua, hehe!!!
    Beijos, flor!!!

    ResponderExcluir
  9. Mentira Fabi, porque EU também sou visitante assídua do teu blog! haha

    ResponderExcluir
  10. Michele!
    Sempre soube que tu serias esta pessoa talentosa e que escreve maravilhas...
    Parabéns!!! Admiro-te!!

    ResponderExcluir