Devaneios tolos... a me torturar.

terça-feira, 21 de abril de 2009

A vida em seu formato mínimo


O amor em minúscula...

Visitei uma exposição de Bonsai neste feriado...
E sempre me encantei com esta técnica de delimitar ao mínimo o desenvolvimento de uma grande árvore. A mesma forma, a capacidade de viver muitos e muitos anos, em seu formato mínimo.

Eram Bonsais de carvalhos, três marias, figueiras... alguns com mais de cinqüenta anos, e menos de meio metro.

Aquelas árvores frondosas, com seus frutos, flores e raízes reduzidas a miniaturas sem perder absolutamente nada de sua beleza e encanto.

Fiquei pensando que nós também podemos ser assim. Mas somente aqueles que sabem se adaptar.

Desde sempre predomina a teoria de que o mais forte sobrevive... mas acho que hoje sobrevive o mais flexível. O mutante, o adaptável.

Tenho tentado ser assim. Não importa quão grande ou pequeno o terreno onde eu seja convidada a fincar raízes, ocupo com meu potencial, o espaço a mim reservado.

Muitas vezes tenho ganas de crescer, ultrapassar a fronteira do meu espaço reservado... mas preciso respeitar também o limite do outro.
Ser livre é um pouco disso também... é ser quem você é, no espaço que lhe cabe.

É como o amor em minúscula... o maior dos sentimentos, que cabe no breve espaço de beijar.

3 comentários: