Devaneios tolos... a me torturar.

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Liberdade da alma

Não testo a temperatura da água, nem a profundidade do mergulho. Me responsabilizo por traumas, pelos choques térmicos, e consequências de, por vezes, dar de cara com o raso. Viver é isso. Caminhar no escuro. Tatear com o instinto. Voar com as asas do coração. Perder a razão. Saborear a liberdade da alma.


Nenhum comentário:

Postar um comentário