Devaneios tolos... a me torturar.

quinta-feira, 26 de março de 2009

"É necessário ter o caos aqui dentro para gerar uma estrela."


O GRITO


Não sei o que está acontecendo comigo, diz a paciente para o psiquiatra. Ela sabe.
Não sei se gosto mesmo da minha namorada, diz um amigo para outro. Ele sabe.
Não sei se quero continuar com a vida que tenho, pensamos em silêncio. Sabemos, sim.
Sabemos tudo o que sentimos porque algo dentro de nós grita. Tentamos abafar este grito com conversas tolas, elucubrações, esoterismo, leituras dinâmicas, namoros virtuais, mas não importa o método que iremos utilizar para procurar uma verdade que se encaixe nos nossos planos: será infrutífero. A verdade já está dentro, a verdade se impõe, fala mais alto que nós, ela grita.
Costumamos desviar este amor para outro amor, um amor aceitável, fácil, sereno. Podemos dar todas as provas ao mundo de que não amamos uma pessoa e amamos outra, mas sabemos, lá dentro, quem é que está no controle.
A verdade grita. Provoca febres, salta aos olhos, desenvolve úlceras. Nosso corpo é a casa da verdade, lá de dentro vêm todas as informações que passarão por uma triagem particular: algumas verdades a gente deixa sair, outras a gente aprisiona. Mas a verdade é só uma: ninguém tem dúvida sobre si mesmo.
Podemos passar anos nos dedicando a um emprego sabendo que ele não nos trará recompensa emocional. Podemos conviver com uma pessoa mesmo sabendo que ela não merece confiança. Fazemos essas escolhas por serem as mais sensatas ou práticas, mas nem sempre elas estão de acordo com os gritos de dentro, aquelas vozes que dizem: vá por este caminho, se preferir, mas você nasceu para o caminho oposto. Até mesmo a felicidade, tão propagada, pode ser uma opção contrária ao que intimamente desejamos. Você cumpre o ritual todinho, faz tudo como o esperado, e é feliz, puxa, como é feliz. E o grito lá dentro: mas você não queria ser feliz, queria viver!
Eu não sei se teria coragem de jogar tudo para o alto. Sabe.
Eu não sei por que sou assim. Sabe.
Oi Geeente! Esse texto aí é da Martha Medeiros. Podia ser meu, seu, nosso. Não termos a maestria de escrever bem, não significa não termos a capacidade de pensar, sentir, raciocinar de acordo com o texto acima. O que grita dentro de você?
O que você sabe e finge que não vê? O que você aceita como certo, sabendo que não é? Que vida você leva como sendo sua... sabendo que não é? Para quais verdades gritantes você se faz de surdo?
Sabemos exatamente até onde vamos, o que vamos fazer, como vamos reagir. Sabemos quem somos. Muito embora possamos descobrir novas nuances sobre nós mesmos, nós no fundo no fundo... nos conhecemos bem.
Eu quero viver. Eu quero deixar que os gritos não fiquem presos só dentro de mim. Preciso de coragem para romper com o que está me machucando. Não sei se tenho essa coragem... Sei.

E você também sabe! E aí? O que vai fazer a respeito disso?


Mas mudando de assunto...

Sexo verbal não faz meu estilo... esse é o trecho de uma música do Legião Urbana. Mas eu pergunto à você... que tipo de sexo faz seu estilo? A não ser que você seja um celibatário, e mesmo sendo... o sexo faz parte da sua vida. Sua mãe fez. Sua vovozinha, aquela santa criatura... fez.
Se você não fez ainda... fará.
Todo mundo faz. E li em um livro que os gostos de cada um no sexo são perfeitamente normais (TODOS OS GOSTOS!!!!) desde que você não obrigue ninguém a dividi-los com você!

Falo sobre isso porque fiquei “P” da vida com aquele vídeo da Maíra, do BBB9, fazendo sexo que caiu na Internet. Ao que parece, enquanto ela caprichava no sexo oral, o bonitão ligou o celular e se deliciava gravando seu “grandão” durante o ato. Eu acho o fim do mundo a mania que os ALGUNS homens tem de ficarem fazendo surpresas desagradáveis do tipo filmar e bater fotos das parceiras, na maioria das vezes sem que elas percebam, durante o sexo.

Qual é? Será que os garanhões precisam ficar se deliciando com suas performances? Aluguem um DVD pornô! Mas poupem suas esposas, namoradas, ficantes, amigas, amantes, casos passageiros... de tamanha exposição e humilhação. Será que ainda acreditam em Papai Noel que não se dão conta de que uma imagem, um vídeo, por mais bem guardado que esteja, pode, a qualquer momento, cair em mãos erradas?

E nós mulheres, as super espertas, as inteligências raras, porque será que em nome do amor, da satisfação do parceiro, da aventura, acabamos correndo riscos como estes?
Muitas meninas se submetem a esse tipo de coisa, e depois veem suas vidas desmoronarem porque o troço se tornou público.
Muitas mulheres são vítimas disso e vão continuar sendo. Quem não se importa e quer ibope, tem mais é que aproveitar. Agora, quem se importa... Deve ter muito cuidado.

Vocês viram aquele caso da menina de 11 anos que fez um filme pornô com adolescentes “de brincadeira” via celular e acabou tendo que se mudar de cidade, em Ibirubá, com toda a família junto?
A criança de 11 anos esteve na casa do amigo, de 14, onde pelo menos mais um garoto, de 13 anos estava presente.
A brincadeira começou com os amigos jogando vídeo game, e terminou no quarto, onde a menina acabou sendo filmada pelo celular, em brincadeiras eróticas. Um amigo passou o vídeo caseiro para o outro, até que nesta corrente, o vídeo foi postado na Net. Imaginem a repercussão em uma cidade de 18 mil habitantes.

O que se faz entre quatro paredes é segredo. Mas já que onde há mais de uma pessoa, já não existe segredo... cuide para que pelo menos não existam PROVAS!

2 comentários: