Devaneios tolos... a me torturar.

sábado, 21 de março de 2009

Não há melhor lugar... do que a nossa casa!


A afirmação que vou fazer, garanto que todos vocês já fizeram... ou pelo menos concordam comigo...

“Não há lugar melhor do que a nossa casa”...

Roubei a frase da Dorothy, do ‘Mágico de OZ”, para dizer que depois de conhecer parte do Nordeste, passando pela Bahia, por Alagoas, Pernambuco, posso dizer sem medo de errar: - O paraíso é aqui no sul!

Apesar de todos os pesares, das dificuldades que encontramos no dia a dia (principalmente na questão dinheiro), nós vivemos em um lugar abençoado. Limpo, organizado, com infra-estrutura, clima bom, casas bem feitas, jardins e verde, arquitetura moderna, gente bonita e tudo que há de melhor!

Nem de nossos políticos podemos nos queixar... porque enxergamos cada absurdo na região Nordeste! Que ficamos indignados!

O povo do Nordeste é o que há de simpático, hospitaleiro, desestressado... Tudo funciona em ritmo lento...

Mas ultrapassando a primeira quadra do mar, nos deparamos com as casinhas feitas ainda de barro, parede com parede, nenhum jardim, nenhuma árvore plantada, nenhuma flor.

Crianças por todos os lados de pé descalços, pedindo moedas para comprar comida. Nos canaviais, as pessoas trabalhando debaixo de um sol de 40 graus, sujos daquela fuligem que sobra depois das queimadas. Usam lenços em frente ao nariz para não aspirar aquela sujeira.

Ficamos mal só de olhar...

Ao visitarmos uma praia quase deserta, em uma cidade muito pobre, de repente, no meio dos coqueirais, surgiram duas quadras de calçamento que “algum político bem intencionado” construiu, para que finalidade não sei... Ao passo que no centro da cidade as ruas eram de areia, e as mulheres atravessavam o coqueiral em busca de água para a comida e para lavar a roupa.

Eu não sei, se por termos uma vida boa, e por nos darmos conta que podemos sempre alcançar mais, acabamos muito mais ansiosos, estressados e insatisfeitos do que aquele povo. Porque lá, quase não ouvi queixas. E é um povo muito religioso. Confiam muito nos caminhos que “Deus” faz para cada um...

Não vi violência, e nas praias movimentadas de Alagoas, e Pernambuco, não tivemos nenhum problema em deixar objetos pessoais e até mesmo bolsas à beira mar.

Alagoas sabe receber como ninguém! E falo isso, porque deveríamos lotar um ônibus de guaporenses para que aprendamos como nos tornar “uma cidade turística”.

Aqui não há pessoas disponíveis para receber quem vem comprar e quer conhecer a cidade. Ninguém com conhecimento histórico sobre Guaporé, que esteja à disposição na Prefeitura para acompanhar, a qualquer hora, um turista.

Não há um passeio projetado, que inicie pelo Cristo, passe pelo interior, grutas, vale do Carreiro, Caça e Pesca, Autódromo, Igreja e prédios antigos, fábricas de jóias e lingerie, parada para almoço, e por fim, compras.

Não há. Mas aí eu pergunto: - Ainda não temos esse serviço porque não há fluxo, ou não há fluxo maior porque não dispomos desse serviço?

Mas o que quero dizer, é que qualquer lugar que possamos visitar, tem muito a nos ensinar. E o Nordeste foi desenhado com todo o capricho por Deus. É um pedacinho do paraíso. Mas viver bem, como nós vivemos, também significa desfrutar do paraíso. Por isso, valorizo os lugares que conheço, mas valorizo ainda mais o lugar onde vivo. Sei que temos muito a aprender... mas com força de vontade, humildade e trabalho em conjunto, chegaremos lá!

A vida que queremos ter...

Aproveitando a oportunidade, achei engraçado que no Orkut, onde coloquei minhas fotos da viagem, muita gente escreveu comentários do tipo:

- Nossa, está podendo hein!

- Virou Marajá!

- Assaltou um banco pra ir viajar?

- Está esnobando os pobres...

Claro que é tudo brincadeira dos meus amigos. Mas vou dizer uma coisa para vocês: Você pode conhecer o mundo inteiro se quiser. Se tornar suas viagens prioridades. Ao invés do “carro do ano”, prefiro a “viagem do ano”. E assim vamos indo...

Viajar e viver bem não é privilégio de quem é rico não! É a opção de quem é inteligente, trabalhador e organizado!

Vou deixar para vocês só um pedacinho de uma entrevista que recebi por e-mail. Quem quiser ela inteira, por favor, me escreva. Ela fala sobre a obra “Heróis de Verdade”, de Roberto Shinyashiki. Em "Heróis de Verdade", o escritor combate a supervalorização das aparências, diz que falta ao Brasil competência, e não auto-estima.

Isto É - Quem são os heróis de verdade?

Roberto Shinyashiki - Nossa sociedade ensina que, para ser uma pessoa de sucesso, você precisa ser diretor de uma multinacional, ter carro importado, viajar de primeira classe. O mundo define que poucas pessoas deram certo. Isso é uma loucura. Para cada diretor de empresa, há milhares de funcionários que não chegaram a ser gerentes. E essas pessoas são tratadas como uma multidão de fracassados. Quando olha para a própria vida, a maioria se convence de que não valeu a pena porque não conseguiu ter o carro nem a casa maravilhosa. O mundo precisa de pessoas mais simples e transparentes. Heróis de verdade são aqueles que trabalham para realizar seus projetos de vida, e não para impressionar os outros.

Isto É - Como as pessoas podem se livrar dessa tirania da aparência?

O primeiro passo é pensar nas coisas que fazem as pessoas cederem a essa tirania e tentar evitá-las.

São três fraquezas. A primeira é precisar de aplauso, a segunda é precisar se sentir amada e a terceira é buscar segurança. Ninguém na hora da morte diz se arrepender por não ter aplicado o dinheiro em imóveis ou ações, mas sim de ter esperado muito tempo ou perdido várias oportunidades para aproveitar a vida."

Gente, vamos combinar que tem cada porcaria na Internet e em alguns orkuts... que a gente começa a pensar se também não somos uns cafonas! rsrsrs!!! Aí achei uma frase: A internet não te deixa idiota. Só deixa a tua idiotice mais acessível aos outros.”

2 comentários: